Nordeste

Na Paraiba, a formação do novo cientista na UFPB surge para resolver negócios

Por Walter Santos

 

Criador do Curso de graduação de Ciências de Dados para Negócios na UFPB aponta condição especial e efeitos para formação e mercado com resultados

A Universidade Federal da Paraiba convive desde a última semana de julho de 2021 com a criação do curso de graduação inédito no país denominado de Ciências de Dados para Negócios sob a inspiração do professor doutor Alessio Tony, do Departamento de Economia com alta expectativa à frente.

Eis a entrevista para entende o curso:

Revista NORDESTE – A dados de hoje, da contemporaneidade, o que diferencia o Curso de Graduação de Ciências de Dados para Negócios?

Prof. Dr. ALESSIO TONY-  O curso nasce com a perspectiva inovadora, de dispor para a sociedade uma opção de formação superior que integra conhecimentos de Ciência de Dados e Economia, Administração e Finanças, sendo o primeiro curso do país com essa abordagem. O curso de CDN é vinculado ao Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA) e visa formar profissionais que estão em falta no mercado de trabalho, preparados para os novos desafios tecnológicos das empresas e gestão pública frente à Revolução da Indústria 4.0.

NORDESTE – Como surgiu?

Prof. Dr. ALESSIO TONY- A Comissão da Iniciativa de CDN do CCSA/UFPB sintetiza o escopo do novo bacharelado da instituição como sendo a ciência do planejamento, aquisição, gerenciamento, análise, inferência de dados e visualização das informações para subsidiar de forma estratégica a tomada de decisão das organizações privadas, públicas e sociais.

NORDESTE – Que referência o Sr traz como elemento fundamental no campo acadêmico diferenciado  para distinguir a nova opção?

Prof. Dr. ALESSIO TONY-  <span;>Por integrar conhecimentos de tecnologia da informação e de negócios, o aluno terá uma formação diferenciada para que seja capaz de atuar desde o entendimento do problema de negócio à construção do modelo, sistema de visualização, análise e discussão das evidências encontradas a partir dos dados.

Na era da Economia Digital, os dados são os ativos mais valiosos, porém é preciso dispor de um conjunto amplo de técnicas, teorias e ferramentas analíticas e computacionais para transformar dados em informações, informações em conhecimento e conhecimento em decisões ágeis e efetivas. Nesse contexto, o curso de CDN visa preencher essa lacuna e necessidades do mercado, dispondo para a sociedade de uma nova alternativa de formação.

NORDESTE – Qual universidade referenciada aposta nesse curso?

Prof. Dr. ALESSIO TONY- <span;>O projeto pedagógico do curso foi construído por uma comissão multidisciplinar do CCSA, formada por docentes com diferentes linhas de formação acadêmica, que iniciou os trabalhos em 2019 e, após muitas discussões, estudos e interações com professores de vários departamentos e centros da UFPB, formulou o projeto de curso de CDN baseado, em especial, nas Diretrizes Curriculares para Programas de Graduação em Ciência de Dados (Curriculum Guidelines for Undergraduate Programs in Data Science) e em experiências recentes de instituições de alto prestígio nacional e internacional (como MIT,  London Business School, USP e FGV).

NORDESTE – Na sua opinião, que natureza de profundidade conceitual o novo curso traz para a UFPB?

 

Prof. Dr. ALESSIO TONY – O bacharelado visa prover competências e habilidades que permitirão os discentes desempenhar as novas funções que a sociedade da informação e do conhecimento fez emergir nas organizações privadas, sociais e públicas, de modo que a UFPB, seguindo uma tendência mundial, oferta para a comunidade mais uma opção de graduação para ajudar a preencher uma lacuna existente em nosso país de profissionais com esse perfil supramencionado.  Desta feita, a criação do curso de CDN está em linha com o Plano de Desenvolvimento Institucional da UFPB, ao passo em que contribuirá para a formação de profissionais capazes de fomentar o desenvolvimento sustentável da Paraíba e do Brasil.

NORDESTE – Quais desdobramentos?

 

Prof. Dr. ALESSIO TONY – Destaco ainda que a UFPB, segundo o sistema e-MEC, é a única instituição pública federal de ensino superior com registro de oferta de bacharelado na área de Ciência de Dados no Brasil. Fato que reforça o caráter de vanguarda da nossa instituição no país.

 

NORDESTE – que projetos próximos de seu laboratório interno no Departamento de Economia da UFPB  consolida a efetiva aprovação futura do curso no mercado?

Prof. Dr. ALESSIO TONY – Como líder do Laboratório de Economia e Modelagem Aplicada (LEMA), vejo que vários dos projetos e soluções tecnológicas desenvolvidas nos últimos anos, como o Aplicativo Preço da Hora, o Sistema Preço de Referência, o Sistema de Indicadores de Desempenho do Gasto Público da Paraíba (IDGPB), entre outros, requerem cada vez mais uma combinação de aptidões e conhecimentos multidisciplinares que o mercado de trabalho valoriza e existe uma grande escassez de profissionais no mercado local e internacional. Tais experiências do nosso laboratório e de outros grupos de pesquisa e extensão do CCSA (como o LAGID, LABIMEC, Sala de Ações, ODIN, etc.) reúnem resultados e competências que agregarão a formação dos nossos futuros alunos.

 

NORDESTE – O que os futuros estudantes podem esperar do novo curso?

Prof. Dr. ALESSIO TONY – O currículo de CDN é estruturado a partir da relação de seis competências globais, integrando conhecimentos de economia, administração e finanças ao domínio de ciência de dados e seus algoritmos. A figura a seguir apresenta as seis competências de CDN.

 

NORDESTE – Que profissional vai sair?

Prof. Dr. ALESSIO TONY- <span;>O objetivo é formar um profissional capaz de identificar problemas, propor e executar soluções. Entre as inovações do bacharelado em CDN, destacam-se: grade curricular moderna e interdisciplinar com componentes flexíveis; disciplinas com enfoque prático desde o primeiro período; ensino baseado em resolução de problemas; corpo docente qualificado e com experiência em desenvolvimento de projetos de alto impacto; projeto de Hackathon Inteligência de Negócios; programa de palestras com profissionais e personalidades do mercado; sistema de inteligência de Monitoramento e Avaliação do Curso.

Inicialmente, a UFPB ofertará entre os dias 03 e 06 de agosto, na 2ª Edição do SiSU/2021, 30 vagas no período vespertino (www.sisu.mec.gov.br). Quem tiver mais interesse em conhecer melhor o curso, pode consultar nossa página oficial (www.ufpb.br/cdn) e acompanhar nosso Instagram (@cdn.ufpb) .


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp