Pernambuco

‘A homofobia continua sendo naturalizada’, diz ex-BBB Gil do Vigor após Sport Club do Recife não punir conselheiro que o atacou com declarações homofóbicas

Áudio com ofensas de Flávio Koury vazou em maio, após visita do ex-participante do programa à Ilha do Retiro. Conselho Deliberativo do clube absolveu conselheiro de qualquer tipo de punição.

 

 

O Conselho Deliberativo do Sport Club do Recife decidiu não punir o conselheiro Flávio Koury, que fez declarações homofóbicas em áudio em um grupo no WhatsApp, após a visita do economista e ex-participante do Big Brother Brasil Gilberto Nogueira à Ilha do Retiro, em maio de 2021. “Infelizmente, eu fico triste de ver que a homofobia continua sendo naturalizada”, disse Gil à TV Globo.

Ainda na gravação, o ex-BBB agradeceu o apoio que recebeu da torcida rubro-negra e de jogadores do Leão. “Não quero me estender nesse assunto. É um assunto que me machuca ainda, me deixa mal, estou muito abalado ainda. […] Obrigado à torcida, aos jogadores, mas infelizmente não senti o mesmo apoio de todas as instâncias, de pessoas que precisam aprender”, contou.

Koury integra o Conselho Deliberativo do Sport, que o absolveu de qualquer tipo de punição. Em maio, quando vazou o áudio dele publicado em um grupo do WhatsApp (veja detalhes mais abaixo), os conselheiros haviam sugerido uma advertência por escrito como punição pelo ato discriminatório.

A decisão ainda foi cercada de polêmica porque o diretor de diversidade do Sport, Gabriel Augusto, foi expulso da reunião em que foi decidida a não punição de Koury. Em áudios gravados no local, é possível ouvir o presidente do Conselho Deliberativo, Pedro Lacerda, falando para o diretor se retirar do local.

“Foi uma decisão que reforça um padrão de exclusão de um conjunto de torcedores e torcedoras que estão representados nesse escudo. Atrás desse escudo, batem muitos corações, inclusive de pessoas LGBT que merecem, da nossa parte, todo o respeito”, declarou Gabriel Augusto.

Em vídeo enviado a TV Globo, Pedro Lacerda afirmou que o pedido para a saída do diretor do local da votação aconteceu porque “a reunião tinha um caráter sigiloso, tendo em vista a matéria a ser votada, essa questão ética e disciplinar”.

Por meio de nota publicada nas redes sociais, a presidência executiva do Sport se disse contra a decisão de não punir o conselheiro Koury.

“Condenamos todas as ações contra Gil e fazemos questão de reforçar nossa posição sobre o assunto. Divergimos da decisão da maioria do Conselho Deliberativo sobre este tema, mas reconhecemos que tem total soberania sobre suas decisões, como rege o estatuto”, declarou o clube.

 

Declarações homofóbicas

 

No áudio, vazado de um grupo no WhatsApp do qual fazem parte outros membros do Conselho Deliberativo, Koury reclamou sobre a quantidade de visualizações que um vídeo de Gil na Ilha do Retiro teve. Na gravação, o economista fez a dança do “tchaki tchaki”, coreografia que virou a marca registrada do ex-BBB no programa.

Gil foi ao estádio para ser homenageado pelo Sport por ser torcedor do time. “1,2 milhões de visualizações. Arretado. 1,2 milhões de pessoas achando que o Sport só tem viado, só tem puto, só tem galinha, só tem bicha. É bom, muito bom, um marketing arretado. Vai vender a camisa, rapaz. A viadagem todinha vai comprar, vai ser lindo”, disse Koury no áudio vazado.

Procurado pela TV Globo, Koury não quis se pronunciar sobre a decisão do Conselho Deliberativo do clube.

 

*g1pe


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp