Brasil

A hora decisiva de celebrar com a China mesmo contrato feito na Argentina para resgatar malha ferroviária do Nordeste, diz Walter Santos

A hora decisiva de celebrar com a China mesmo contrato feito na Argentina para resgatar malha ferroviária do Nordeste

A América Sul progride apontando fatos e medidas políticas e econômicas a projetar com relevância grandes projetos, inclusive na infraestrutura, a merecer análises e ao mesmo tempo gerar conceitos comparados sobre como algumas decisões tomadas, por exemplo, na Argentina podem desaguar no Brasil em projetos semelhantes no Nordeste brasileiro.

Este é, a dados do presente, um grande mote e desafio do Consórcio Nordeste para viabilizar um dos mais importantes projetos de desenvolvimento socio-econômico dos 9 estados, ainda precisando inserir o projeto MATOPIBA e ainda o da restauração da malha férrea da Paraiba.

Na prática, a China tem interesse, muita grana e capacidade de realização.

RESOLVER JÁ

Há anos, no Nordeste, que perdura tentativas de realização do projeto denominado TRANSNORDESTINA gerando via ferroviária a logística de distribuição de inúmeros produtos até para exportação com custos mais baratos, mas a merecer a inserção de outros projetos, como da retomada da linha férrea na Paraiba.

No caso da Argentina, especificamente, os investimentos na ordem de contrato no valor de US$ 2,6 bilhões certamente que deve impulsionar a recuperação econômica argentina na era pós-pandemia.

SINTESE

O desafio ao Consórcio Nordeste está lançado. É possível, sim, desobstruir e realizar grande projeto em favor do Nordeste brasileiro.

O QUE DIZ A MIDIA SOBRE A ARGENTINA

Argentina fecha contrato para construção do maior projeto ferroviário de empresa chinesa na América Latina

247 – O Ministério dos Transportes da Argentina assinou um contrato nesta sexta-feira (18) com a China Railway Construction Corporation (CRCC) para a realização de melhorias na General San Martin Cargo Railway, o maior projeto ferroviário assinado por uma empresa chinesa na América Latina

O contrato, no valor de US$ 2,6 bilhões, deve impulsionar a recuperação econômica argentina na era pós-pandemia.

O país ainda assinou acordo de cooperação ferroviária com três empresas da China, que resulta em um montante de US$ 4,7 bilhões, que vão criar 28.000 empregos, beneficiando 13 províncias em todo o país, segundo a Agência de Notícias Xinhua. 

A General San Martin Cargo é uma ferrovia em uma linha principal e três ramais com um comprimento total de 1.813 quilômetros.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você