PARAÍBA

A interiorização do desenvolvimento é o eixo principal do III Seminário do Fórum Celso Furtado

Por Luciana Leão

 

Em sua 3ª realização, acontece no dia 6 de julho, no auditório PBTUR, em João Pessoa o  III Seminário do Fórum Celso Furtado de Desenvolvimento da Paraíba (FCF/PB), que tem como eixo principal o de promover e fomentar debates e ações para colocar a Paraíba na rota de interiorização do desenvolvimento.

 

Ao mesmo tempo da realização do Seminário, os organizadores celebram junto com os convidados e palestrantes os 50 anos do emblemático livroO Mito do Desenvolvimento Econômico”, de Celso Furtado.

 

Para o debate das ideias em torno da obra, a palestrante será a professora da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), economista e escritora Zélia Almeida, que fará a abertura do Seminário. A programação do III Seminário do Fórum Celso Furtado sobre a temática da Interiorização do Desenvolvimento da Paraíba é intensa, dividida em cinco painéis de discussões, quais sejam:

 

Painel 1Cenário econômico da Paraíba e perspectivas futuras, com o professor e economista, Rômulo Soares Polari, ex-reitor da UFPB e também foi presidente do FCF/PB.

Painel 2A FIEPB e a interiorização do desenvolvimento

Painel 3 – Propostas do governo estadual para a interiorização do desenvolvimento

Painel 4 –  Atuação das entidades financeiras e promotoras da interiorização do desenvolvimento, com representantes do Sicredi Evolução. Sebrae PB, Gerência Executiva da Superintendência estadual do BNB e Sudene

Painel 5 – FCF-PB, FAROL-PB,FAMUP e CINEP: iniciativas para interiorização do desenvolvimento.

 

Ao final, será elaborada uma Carta aos candidatos às prefeituras, com sugestões para os futuros gestores sobre a principal temática do Seminário III do Fórum Celso Furtado.  Acesse a programação aqui .

 

O portal da Revista Nordeste entrevistou o presidente do FCF-PB, economista Celso Pinto Mangueira para expor parte dos temas a serem abordados entre os painelistas convidados.

 

NORDESTE –  Quais são os principais desafios que ainda enfrentamos em relação às desigualdades econômicas e sociais que Furtado destacou em seus livros? 

 

CELSO MANGUEIRA – Celso Furtado em seus livros apresentou caminhos que levassem o país a ser próspero e com igualdade. Ao tratar das disparidades econômicas e sociais da Região Nordeste como economia menos desenvolvida, argumentou que eram decorrentes de fatores como planejamento, infraestrutura, tecnologia, distribuição de renda, seca, escolaridade, acesso a serviços básicos. 

 

Passados mais de 60 anos da publicação das obras de um dos mais respeitados economistas brasileiros, pode-se afirmar que ocorreram significativas melhorias, porém a Região ainda é marcada por fortes desigualdades econômicas e sociais em relação ao eixo Centro-Sul do país. 

 

Portanto, os fatores apontados por Furtado devem ser enfrentados com planejamento, investimentos, empreendedorismo, industrialização, políticas públicas numa velocidade suficiente para superar o crescimento observado nas regiões brasileiras mais desenvolvidas, promovendo de forma efetiva a melhoria da qualidade de vida da população, em especial a do interior nordestino. 

 

NORDESTE –  O Seminário vai dialogar com os desafios e potenciais da interiorização do desenvolvimento na Paraíba. Quais setores econômicos o senhor avalia que se apresentam com maior potencial de crescimento nos próximos anos? 

 

CELSO MANGUEIRA – Estudos de diversas entidades estaduais têm apontado como principais setores econômicos da Paraíba que apresentam maior potencial de crescimento são: as energias renováveis, a construção civil, o turismo, a economia criativa, a tecnologia da informação e comunicação, a indústria de bebidas, alimentos, couro, calçados, agronegócio (Caprinocultura,.Piscicultura e Fruticultura). 

 

NORDESTE – Como a economia da Paraíba pode se diversificar para reduzir a dependência de setores tradicionais e se tornar mais resiliente? 

 

CELSO MANGUEIRA – É importante destacar que as Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) desempenham um papel cada vez mais relevante na sociedade moderna, permeando todos os setores da economia, incluindo a educação, saúde, modernização administrativa da máquina pública estadual e municipais. Assim, os benefícios da adoção de forma sistemática e contínua das TICs é o único caminho para Paraíba romper as barreiras da dependência de setores tradicionais, se tornar mais resiliente e ampliar as oportunidades de diversificar sua economia. 

 

NORDESTE – Em um dos painéis do Seminário, há um debate sobre iniciativas em curso que promovem o desenvolvimento da Paraíba. Em sua avaliação, quais seriam as principais iniciativas que estão sendo executadas nas regiões menos favorecidas do interior da Paraíba

 

CELSO MANGUEIRA – Em primeiro lugar, os trabalhos de conclusão das obras de transposição das águas do Rio São Francisco que proporcionará a segurança hídrica e, notadamente, a tão esperada irrigação dos solos férteis do Semiárido paraibano. 

Em segundo lugar, o processo de descentralização e interiorização das políticas públicas setoriais de educação superior que trouxeram repercussões positivas para as regiões menos favorecidas do Nordeste. Cita-se também a continuidade das obras de infraestrutura rodoviária conectando todas as cidades paraibanas, bem como os estímulos à criação e expansão de pequenos negócios no interior paraibano. 

 

NORDESTE – Como vem sendo o trabalho do Fórum Celso Furtado para apoiar iniciativas o desenvolvimento sustentável no interior do estado? 

 

CELSO MANGUEIRA – O FCF/PB tem interagido com a sociedade paraibana promovendo encontros e seminários, onde são discutidos os principais indicadores socioeconômicos do Estado e apresentadas as oportunidades e sugestões para se alcançar o desenvolvimento esperado pelos paraibanos.

Em 2019, participou dos debates do documento intitulado “Paraíba: Desafios ao Desenvolvimento” entregue aos candidatos ao governo estadual. Em 2020, organizou com o Corecon-PB o evento comemorativo aos 100 anos de Celso Furtado com o lançamento de dois livros em homenagem ao notável economista.Em 2022, promoveu a live interestadual “Estratégias para o Desenvolvimento do Nordeste Semiárido”, que contou com a participação de economistas e outros profissionais dos estados da PB, PE, RN e CE.  Ainda em 2022, realizou o Seminário I “O Nordeste como prioridade do desenvolvimento nacional”. Em 2023, promoveu o Seminário II “O Futuro da Transposição das Águas do Rio São Francisco. A água chegou. E agora?”

Em 2023, assinou o protocolo de intenção do projeto “Aprender e Empreender” com o ministro de desenvolvimento social, Wellington Dias, que tem como objetivo planejar e desenvolver ações que incentivem a inserção no mercado de trabalho de pessoas com uma renda mínima de meio salário-mínimo. Neste ano, participou da organização e da realização do XXXII Encontro de Economistas do NE que teve como tema central “A Interiorização do Desenvolvimento do Nordeste”. Agora, em 6 de julho de 2024, promoverá o III seminário com o tema “A Interiorização do Desenvolvimento da Paraíba”. 

 

NORDESTE Como as parcerias entre o FCF-PB e outras entidades, como FAROL-PB e CINEP, estão contribuindo para reduzir as desigualdades regionais na Paraíba? 

 

CELSO MANGUEIRA – O FCF/PB às vésperas de completar cinco anos de criação tem construído inúmeras. Em destaque, com o Corecon-PB na publicação de livros em homenagem a Celso Furtado e na promoção de diversos eventos em prol do desenvolvimento paraibano e contribuindo para o enriquecimento do debate para reduzir as desigualdades regionais na Paraíba. 

Com o Farol-PB, além da assinatura conjunta do protocolo de intenção do projeto Aprender e Empreender” do Ministério de Desenvolvimento Social, o desenvolvimento da plataforma intitulada Farol-Bússola que irá permitir a avaliação abrangente do desempenho econômico, social e da gestão pública do município de João Pessoa/PB, visando fornecer dados precisos e atualizados para a formulação de políticas públicas e orientação para investimentos privados. Com a CINEP  participou, ao lado do Corecon-PB, da elaboração de termo de cooperação técnica para qualificar os projetos econômico-financeiros a serem apresentados pelas empresas interessadas em investir na Paraíba. 

 

 

 

 


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp