Pernambuco

Após dois ataques de tubarão trecho da praia é interditado para banho de mar

Segundo o decreto publicado no Diário Oficial de Jaboatão dos Guararapes nesta terça-feira (27), interdição é por tempo indeterminado e abrange área de quase 1,6 quilômetros.

 

Está proibido, a partir desta terça-feira (27) e por tempo indeterminado, o banho de mar em um trecho da praia que fica próximo à Igrejinha de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. A medida foi adotada após ocorrerem dois ataques de tubarão nessa área em 15 dias, que resultaram em uma morte e em um ferido.

 

A interdição abrange uma área de quase 1,6 quilômetros, que vai desde a Igrejinha de Piedade até o Hotel Barramares, localizado ao lado do Hospital da Aeronáutica do Recife, no limite com a capital pernambucana.

A decisão foi do Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes com Tubarões (Cemit) e da prefeitura de Jaboatão, que participaram de uma reunião realizada na segunda-feira (26). O decreto foi publicado na edição desta terça-feira (27) do Diário Oficial do município.

De acordo com o vice-prefeito do município, Luiz Medeiros (PSC), demais atividades na orla da praia não foram afetadas pela decisão.

“Nós tínhamos as placas indicativas, as bandeiras e os guarda-vidas fazendo a orientação. Mas o excesso por parte de algumas pessoas, em função de estarem consumindo bebidas alcoólicas, se divertindo, não levaram em consideração esses alertas”, afirmou.

 

Ainda segundo o vice-prefeito, foram instalados banheiros químicos e chuveiros para que as pessoas possam usufruir da praia sem precisar entrar no mar. “Nós detectamos que as pessoas estavam usando o mar para fazer suas necessidades e tomar banho”, disse.

 

De acordo com a prefeitura, devem ser realizados estudos na área durante o período de interdição. A Guarda Civil Municipal, com apoio das forças de segurança do estado, fica responsável por fazer a fiscalização no local, onde os ataques de tubarão são comuns.

Ainda segundo o decreto, foram consideradas “as conclusões de parecer técnico de especialista da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), recomendando que os trechos críticos sejam interditados temporariamente, por período indeterminado, enquanto as condições ambientais sejam favoráveis aos ataques de tubarão”.

 

Entre as condições ambientais que favorecem os ataques citados pela gestão municipal, estão o relevo favorável do local e as chuvas, “que tornam as águas turvas e dificultam a visibilidade dos banhistas e usuários das praias em relação aos animais”.

 

Estatísticas e casos recentes

 

Dados do Cemit indicam que, nessa área que foi interditada, ocorreu um de cada cinco incidentes com tubarão notificados em Pernambuco desde 1992. Até o domingo (25), tinham sido registrados outros 13 ataques no local, contra 12 banhistas e um surfista. Ao todo, sete pessoas morreram.

 

O caso mais recente aconteceu no domingo (25), quando Everton dos Reis Guimarães, 32 anos, foi mordido por um tubarão e teve ferimentos na parte posterior da coxa esquerda e nas nádegas ao tomar banho na área.

No dia 10 de julho, o auxiliar de serviços gerais Marcelo Rocha Santos, de 51 anos, morreu após ter uma mão arrancada e um ferimento profundo na coxa devido a um ataque de tubarão enquanto tomava banho no mesmo local.

Até o incidente com Marcelo, não eram registrados ataques de tubarões no litoral pernambucano desde 2018. A última vítima havia sido José Ernesto Ferreira da Silva, de 18 anos, também no mar da Praia de Piedade. Ele chegou a passar por uma cirurgia, mas faleceu um dia após o incidente.

 

*G1PE


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp