Nordeste

Após morte de Genivaldo em Sergipe, PRF orienta abordagem mais “serena” a pessoas em crises mentais

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) anunciou que vai adotar novas orientações para abordagem de pessoas com crise de saúde mental. O pronunciamento acontece após Genivaldo de Jesus, que convivia com a esquizofrenia, ser morto, durante uma abordagem, por agentes da PRF em Umbaúma, no Sergipe, em uma câmara de gás improvisada no fundo de uma viatura, em maio deste ano.

 

De acordo com a PRF, o documento com orientações internas sugere que a abordagem desse público seja mais “serena” e que a força só deverá ser empregada em “último caso”, como exceção.

 

“Os policiais rodoviários federais devem estar cientes de que a aplicação ou uso de restrições físicas pode agravar qualquer agressão que esteja sendo exibida pelo indivíduo em crise”, diz a orientação, assinada em 14 de junho pelo diretor de operações da PRF, Djairlon Henrique Moura.

 

O documento reconhece que o diagnóstico de doenças psíquicas é complexo mesmo para profissionais da saúde, mas que os “policiais rodoviários federais são “capazes de reconhecer pessoas com perturbação mental, especialmente àquelas potencialmente violentas e/ou perigosas”, diz reportagem da CNN.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp