Internacional

Após Reino Unido, chanceler da Alemanha Angela Merkel anuncia novo lockdown

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, anunciou nesta terça-feira (5) a extensão do lockdown em todo o país até o fim de janeiro. A medida é uma tentativa de conter os números ainda muito altos de casos e de mortes pelo novo coronavírus.

“Precisamos restringir ainda mais os contatos. Pedimos a todos os cidadãos que diminuam seus contatos próximos ao nível mínimo possível”, disse Merkel após reunião com líderes dos 16 estados federados alemães.

As primeiras medidas para conter a segunda onda foram adotadas em novembro. Porém, logo no início de dezembro, Merkel reconheceu que o “lockdown parcial” não foi suficiente para conter o vírus e anunciou um confinamento ainda mais duro que duraria até, no mínimo, 10 de janeiro. Nesta terça, o governo alemão decidiu por estender as restrições.

As novas medidas são as seguintes:

– Moradores de zonas consideradas “focos” da Covid-19 não poderão se deslocar em uma distância superior de 15 quilômetros sem um motivo considerado relevante. Segundo a agência Deutsche Welle, um em cada seis distritos está acima do patamar de 200 casos por 100 mil moradores em 7 dias, considerado crítico.

– Encontros privados entre moradores de casas diferentes estão limitados: apenas uma pessoa poderá visitar a residência de outra por vez.
Pessoas que chegarem à Alemanha de áreas consideradas de risco precisarão apresentar dois testes negativos para o coronavírus. Uma quarentena de cinco dias será obrigatória mesmo se o primeiro exame der resultado negativo.

– Famílias receberão 10 dias de licença para cuidar dos filhos; pais solteiros terão direito a 20 dias.

Outras regras, definidas desde dezembro, ainda estão em vigor:

-Comércio não essencial está fechado
-Creches e escolas permanecem fechadas
-Proibido o consumo de álcool nas ruas
-Eventos religiosos estão mantidos sob regras de higiene; cantos estão proibidos

Segundo a chanceler alemã, a ideia do lockdown é reduzir as transmissões a um ponto em que o rastreamento de todos os casos seja possível.

Além disso, Merkel se disse otimista com o início da vacinação, que já começou na Alemanha, e que a partir da segunda quinzena de janeiro mais pessoas receberão a vacina contra a Covid-19.

Monitoramento da Universidade Johns Hopkins mostra que a Alemanha registra mais de 1,86 milhão de casos de coronavírus desde o começo da pandemia. Mais de 36 mil pessoas morreram no país em decorrência da Covid-19.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp