Política

Após voltar atrás de pré-candidatura à presidência, Moro diz que ‘não desistiu de nada’

Em pronunciamento curto pelo Instagram, o ex-juiz Sergio Moro, que trocou o Podemos pelo União Brasil e abriu mão de sua candidatura à presidente em 2022, afirmou que não será candidato a deputado federal. Ele afirmou que não quer cargos e não tem “necessidade de foro privilegiado, ou outros privilégios que sempre repudiei”.

“Não desisti de nada, muito menos de meu sonho de mudar o Brasil”, afirmou o ex-juiz, que coordenou ilegalmente a força tarefa da Lava Jato, acabando com milhões de empregos e afundando a economia brasileira. “Não colocarei meus interesses pessoas à frente dos interesses do país”, afirmou o juiz que enriqueceu destruindo o Brasil.

 

Moro afirmou que o importante é unificar “centro democrático, contra os extremos”, que seriam representados pelo ex-presidente Lula (PT) e Jair Bolsonaro (PL) — do qual ele foi ministro após ajudar a elegê-lo em 2018, tirando o petista das eleições presidenciais em julgamento farsa.

 

O “centro democrático”, segundo Moro, seria liderado pelo presidente de seu novo partido (União Brasil), Luciano Bivar, que em 2018 era presidente do PSL, partido que elegeu o fascista Bolsonaro e vários outros políticos de extrema direita. O União Brasil é uma junção entre PSL e DEM (partido que tem ministérios no governo federal e ajudou a impedir um impeachment no Congresso).

 

Citando outros candidatos da chamada “terceira via”, como João Doria, Eduardo Leite, Simone Tebet e outros, pediu que eles abrissem mão de suas candidaturas para chegar a um consenso. Por enquanto, a “terceira via” é um fracasso e não cresce nas pesquisas de intenção de voto.

com 247


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp