Brasil

Ataques políticos nas Redes Sociais são ameaças aos candidatos progressistas; Lula e o PT precisam se advertir

Embora as pesquisas de opinião pública tenham gerado consciência coletiva de favoritismo de pré-candidaturas, a exemplo do caso Lula, este aspecto como previsivel já  produz “salto alto” em figuras de partidos como o PT tanto que, a rigor, o partido e seu principal líder precisam cair na real porquanto a realidade não se aponta fácil, pois a linha dura da Ultra Direita anda fortalecida nas Redes Sociais para interferir nas eleições de 2022.

 

Pelos levantamentos existentes o alvo são todos os pré-candidatos Progressistas, mas sem dúvidas Lula é o mais visado pelo seu significado de forte impacto na conjuntura.

 

Recentemente, por exemplo, novos mecanismos de produção áudio-visual fizeram veicular material envolvendo Lula e Dilma com voz deles integralmente fantasiados, ou seja, reproduzindo falas com voz aparentemente autênticas mas que não eram deles. Isto é muito grave e deve ser explorado na campanha.

 

Aliás, a rede internacional bancada economicamente por esses segmentos de fora do Brasil para dentro denota o entendimento de que os partidos Progressistas, em especial o PT, andam perdendo feio na interferência nas Redes Sociais.

 

São cenários como estes que impõem às campanhas Progressistas  consolidarem alianças ampliadas nos Estados sem as quais correm risco de não obterem êxito eleitoral, apesar de vantagem na atualidade.

Não se iludam: será verdadeira guerra digital.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp