Pernambuco

Banco do Nordeste disponibiliza R$ 3,6 bi em empréstimos para Pernambuco

Por Danielle Santana, Diario de Pernambuco

Por meio do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), o Banco do Nordeste do Brasil (BNB) está disponibilizando R$ 3,6 bilhões em recursos para empréstimos em Pernambuco neste ano. Desse total, R$ 1,4 bilhão é voltado para infraestrutura, como obras destinadas à implantação de energia renovável, enquanto o restante deverá ser destinado para o comércio, indústria e serviços, incluindo segmentos como turismo, educação e logística.

Em 2021, as contratações no estado com recursos do FNE somaram R$ 3,95 bilhões, que foram divididos
em 76.077 operações. Incluindo as contratações globais, o montante sobe para R$ 41,9 bilhões. Entre os
maiores contemplados, o destaque fica por conta das micro e pequenas empresas, microempreendedores
urbanos e rurais e agricultores familiares. De acordo com o banco, as linhas de crédito voltadas a esse
público alcançaram, no âmbito global, R$ 28,8 bilhões, o que corresponde a 69% de todos os recursos aplicados em 2021.

 

No entanto, apesar do volume significativo disponível, alguns empresários ainda resistem a pleitear os recursos subsidiados junto ao banco. Para Ana Luiza Ferreira, sócia da GF Capital, empresa especializada
em assessoria para a captação de financiamento, as garantis solicitadas pelo banco são um empecilho para a conclusão do negócio.

 

“O que pode dificultar é a garantia real exigida pelo banco, que na maioria das vezes é uma garantia
hipotecária, como um imóvel, um terreno, com normalmente o valor de um para um. Se eu apresento um projeto solicitando cinco milhões de reais, eu preciso apresentar, ao menos, cinco milhões em garantias”, relatou.

 

Além disso, o Banco do Nordeste também exige a completa legalidade e conformidade do negócio. Por isso, é preciso planejamento e uma boa organização para realizar todas as etapas e conseguir um empréstimo. “Primeiramente, o empresário deve levar os documentos cadastrais, tanto se for pessoa física quanto jurídica. Depois, o banco vai exigir um projeto de análise para observar a viabilidade econômico- financeira. Se o projeto envolver obras civis, o banco vai exigir os projetos aprovados pela prefeitura, junto com uma planilha orçamentária de obras civis com lastro em cotação de obras públicas feita por umengenheiro orçamentista”, detalhou.

 

Para agilizar o processo, é necessário estar regular em todos os aspectos. “O imóvel em garantia precisa ter as certidões negativas de ônus, mostrando que está tudo certo. Outra coisa: fazer as cotações em nome da empresa solicitante do financiamento de forma clara, ter certeza de que os orçamentos estão claros e estão endereçados ao pleito do financiamento, fazer essa planilha orçamentária de obras civis em um formato que seja compreensível pelos analistas”, destacou.

 

Conhecer os passos, os documentos e as exigências é importante para agilizar o processo e facilitar a
aprovação. Além disso, Ana Luiza destaca que contar com uma equipe especializada em assessoria de
captação para financiamento pode auxiliar nesse momento. “O cliente fica ciente do que é preciso fazer,
antes de propriamente entrar com o projeto no Banco. Além disso, já sabemos o que o banco aprova e o que o banco não aprova”, concluiu.

Fonte: Diario de Pernambuco


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp