ECONOMIA

BNDES e IBGE farão estudos e pesquisas sobre investimento, trabalho, emprego, além de favelas e comunidades urbanas

 

Parceria prevê ainda a criação de matriz inédita de gastos em produtos e serviços da Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), por atividade econômica

 

 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) assinaram, nesta quarta-feira, 10, na sede do Banco, no Rio, Acordo de Cooperação Técnica (ACT) para promover o intercâmbio de informações e a realização conjunta de estudos e pesquisas que vão subsidiar a implementação de políticas públicas. A assinatura contou com as presenças do diretor de Planejamento e Relacionamento Institucional do BNDES, Nelson Barbosa, e do presidente do IBGE, Marcio Pochmann.

 

O acordo, que tem prazo de vigência de 48 meses e sem a transferência de recursos financeiros entre as duas instituições, permitirá a elaboração de tabulações especiais setoriais a partir de dados compilados pelo IBGE e pelo BNDES.

 

Estão previstos detalhamentos de estatísticas relacionadas aos temas de investimento, trabalho e emprego, critérios e recortes territoriais adotados pelo IBGE, com destaque para o tema “Favelas e Comunidades Urbanas”, e a implementação de trâmite simplificado para projetos de pesquisa do BNDES junto ao IBGE.

 

“O BNDES retomou, no governo do presidente Lula, seu protagonismo no desenvolvimento econômico, social e ambiental do país. E a parceria com o IBGE vai contribuir para o avanço no planejamento, no monitoramento e na avaliação de políticas implementadas pelo Banco”, explica o presidente da instituição, Aloizio Mercadante.

 

“O diálogo produtivo realizado pelas direções do IBGE e BNDES permitiu formalizar o instrumento legal que consolida a cooperação técnica em torno do desenvolvimento nacional. Na concretização do plano de trabalho, os resultados a serem alcançados conferem ainda maior efetividade à missão institucional tanto do IBGE como do BNDES”, afirma o presidente do IBGE, Márcio Pochmann.

 

Matriz inédita

 

O IBGE é o principal produtor de dados e informações econômicas e sociais sobre a realidade brasileira. Com o acordo, o BNDES terá acesso a recortes setoriais e poderá auxiliar o IBGE na elaboração de dados sobre investimentos fixos no país que permitam o desenvolvimento conjunto de uma Matriz de Absorção de Investimentos (MAI) que seja útil para o Sistema de Contas Nacionais (SNC).

 

Essa nova matriz consistirá na definição de perfis de gastos em produtos e serviços da Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) por atividades econômicas, dado ainda inexistente no sistema estatístico brasileiro.

 

No tema de emprego, a parceria viabilizará a elaboração de detalhamentos de estatísticas sobre economia do trabalho que sejam úteis para aprofundar o conhecimento dos efeitos do BNDES e eventualmente gerar mais informação para pesquisadores e sociedade em geral.

 

*Com informações da Agência BNDES


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp