Brasil

Bolsonaro e Guedes entregam ao país a maior inflação para setembro desde o Plano Real e índice vai a 10,25% em 12 meses

Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 1,16% em setembro e acumula alta de 10,25% em 12 meses. Índice é o mais alto para o mês desde 1994 e o acumulado é o maior desde fevereiro de 2016, ano do golpe contra Dilma Rousseff.

 

247 – A política econômica do governo Jair Bolsonaro, capitaneada pelo ministro da Economia Paulo Guedes, fez com que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), indicador oficial da inflação no Brasil, subisse 1,16% em setembro e acumulasse alta de 10,25% em 12 meses, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O índice é o maior para o mês desde o Plano Real, em 1994. A inflação acumulada em 12 meses é a mais alta desde fevereiro de 2016, ano do golpe contra a presidente eleita Dilma Rousseff, quando o IPCA chegou a 10,36%.  

De acordo com o IBGE,  oito dos nove grupos pesquisados registraram alta em setembro. O destaque foi para o grupo Habitação (2,56%), puxado por um aumento de 6,47% na tarifa de energia elétrica em decorrência do aumento da tarifa provocado pela crise hídrica que tem afetado a geração de energia em todas as regiões do país.  

O grupo dos transportes (1,82%) acelerou por conta dos combustíveis que subiram 2,43%, influenciados pela gasolina (2,32%) e o etanol (3,79%). Em 12 meses, a gasolina acumula alta de 39,60% e o etanol de 64,77%

A inflação superior a dois dígitos no acumulado de 12 meses está muito acima do teto de 5,25% estabelecido pelo Banco Central. 

*Brasil247


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp