Brasil

Bolsonaro estava ao lado do ministro da Justiça quando disse a Milton Ribeiro ter “pressentimento” sobre ação da Polícia Federal

Ao ligar para o investigado, Jair Bolsonaro cometeu crime de obstrução judicial, em mais um motivo para impeachment

 

 

247 –O crime de obstrução judicial atribuído a Jair Bolsonaro, por ter alertado o ex-ministro Milton Ribeiro sobre uma ação da Polícia Federal, pode envolver também o ministro da Justiça, Anderson Torres.

 

 

“O presidente Jair Bolsonaro (PL) estava em viagem aos Estados Unidos quando, segundo o ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, ligou para alertar que ele poderia ser alvo de buscas na investigação sobre o gabinete paralelo de pastores no Ministério da Educação (MEC). Bolsonaro viajou a Los Angeles para participar da IX Cúpula das Américas. Ele também teve um encontro com o presidente americano Joe Biden. O ministro da Justiça, Anderson Torres, estava na comitiva brasileira.

 

A Polícia Federal (PF), responsável pela operação que dias depois chegou a prender Ribeiro, integra a pasta. A PF mantém o ministro informado de suas missões diariamente. A própria agenda oficial de Torres cita a participação no evento”, informam os jornalistas Fausto Macedo, Rayssa Motta, Pepita Ortega e Julia Affonso, em reportagem publicada no Estado de S. Paulo.

“Em uma conversa telefônica interceptada, o ex-ministro da Educação indicou ter sido alertado pelo presidente sobre o risco de abrirem buscas contra ele”, prosseguem os jornalistas.

 

– Ele (Bolsonaro) acha que vão fazer uma busca e apreensão em casa”, afirma. 


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp