Pernambuco

‘Canibais de Garanhuns’ – Caso completa 10 anos; trio foi condenado após matar 2 mulheres e vender carne humana dentro de salgados

De acordo com a Secretaria Executiva de Ressocialização, Jorge Negromonte da Silveira, Isabel Cristina Torreão Pires e Bruna Cristina Oliveira da Silva continuam cumprindo as penas em regime fechado.

 

O caso dos ‘Canibais de Garanhuns‘ completa dez anos nesta segunda-feira (11). O crime ficou conhecido após três pessoas matarem e venderem carne humana dentro de salgados em Garanhuns, Agreste de Pernambuco.

A história começou quando parentes de Giselly Helena da Silva denunciaram o desaparecimento da moça. Os acusados usaram o cartão de crédito da vítima em lojas de Garanhuns e foram rastreados pela polícia. Uma publicação contendo os detalhes dos crimes, registrada em cartório, foi encontrada na casa dos réus.

Jorge Negromonte da Silveira, Isabel Cristina Torreão Pires e Bruna Cristina Oliveira da Silva mataram duas mulheres e mantiveram os corpos das vítimas no quintal da residência em que moravam. Eles usavam a carne humana das mulheres para rechear os salgados que vendiam na cidade.

Além da venda da carne e consumo próprio da mesma, os três participavam de uma seita, chamada Cartel, que pregava a purificação do mundo e a diminuição populacional. Uma das vítimas era mãe de uma criança de cinco anos que vivia com o trio.

Em 2014, os assassinos foram condenados a mais de 20 anos. O júri popular aconteceu em 2018 e a sentença final foi que Jorge e Bruna Cristina foram condenados a 71 anos de prisão e Isabel de 68 anos.

De acordo com a Secretaria Executiva de Ressocialização, o trio continua cumprindo as penas em regime fechado. Isabel e Bruna estão na Colônia Penal Feminina de Buíque, já Jorge Beltrão está na Penitenciária Barreto Campelo, em Itamaracá.

 

           

g1pe


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp