Nordeste

Caso Genivaldo de Jesus Santos: MPF autoriza adiamento da conclusão de inquérito pela segunda vez

O Ministério Público Federal (MPF) em Sergipe deu nesta terça-feira (2) mais 20 dias para que a Polícia Federal (PF) conclua o inquérito sobre a morte de Genivaldo de Jesus Santos, asfixiado por policiais rodoviários federais em 25 de maio no município de Umbaúba (SE). A Polícia Federal disse que aguarda os laudos do Instituto Médico Legal (IML) do estado e do Instituto Nacional de Criminalística, em Brasília (DF). Foi o segundo pedido de adiamento feito pela PF.

 

De acordo com informações divulgadas nesta terça-feira (2) pelo jornal Folha de S.Paulo, o MPF disse que “as investigações se encontram em fase final, restando a conclusão resultado das perícias, inclusive o laudo necroscópico, pelo IML/SE e pelo Instituto Nacional de Criminalística em Brasília”. “A complexidade das perícias necessárias justificou a dilação do prazo. Desta forma, a conclusão do inquérito deve ocorrer até o final de agosto”, afirmou.

 

Jesus Santos pilotava sem capacete uma moto e reagiu à abordagem dos policiais. De acordo com o IML, o home, que era negro, morreu por insuficiência respiratória aguda provocada por asfixia mecânica. Ele foi amarrado e colocado no porta-malas da viatura da Polícia Rodoviária Federal (PRF) com gás lacrimogêneo.

 

O corpo dele chegou a uma delegacia antes de ir a um hospital de Sergipe, de acordo com informação divulgada no dia 1 de junho pelo jornalista Marcelo Auler durante o programa Boa Noite 247.

 

A PRF afastou os três policiais envolvidos na morte e instaurou processo disciplinar para investigar o caso.

 

Na sexta-feira (29), a Procuradoria da República em Sergipe recomendou que a PRF instale câmeras de vídeo nos uniformes de policiais em até 120 dias no estado.

247


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp