Arquivo Nordeste

Com a posse de 212 novos servidores, Pefoce amplia provas no combate à criminalidade

O Governo do Ceará ganhou o reforço de 212 novos servidores para a Perícia Forense do Ceará (Pefoce). O grupo tomou posse, nesta quarta-feira (23), no Palácio da Abolição, em Fortaleza. São mais 102 auxiliares de perícia, 54 peritos criminais, 36 médicos peritos legistas e 20 peritos legistas, que reforçarão a atuação do órgão nos nove núcleos espalhados no interior do estado.

 

O trabalho feito no Ceará na área da segurança pública é promovido através da integração das instituições e a Perícia Forense tem função primordial, na opinião do governador Camilo Santana. “É a polícia que produz as provas, que vai dar robustez à investigação, dar toda a garantia de um julgamento justo, com boas provas. Vocês têm um papel fundamental. A história no mundo mostra o papel da polícia científica no sistema de segurança pública. A nossa mensagem com a nomeação célere de vocês é exatamente a importância que vocês têm nesse enfrentamento da criminalidade”, ressaltou o chefe do Executivo estadual.

 

A Pefoce atua na elucidação de crimes, contribuindo no combate à criminalidade ao identificar os autores dos delitos. Além disso, os novos profissionais permitirão que seja ampliada a emissão de documentos de identidade, bem como melhorar a cobertura no atendimento a locais de crimes, com peritos criminais e médicos peritos legistas em todos os núcleos.

 

A vice-governadora Izolda Cela reconhece o papel da Pefoce, mas destaca a importância do servidor dentro do processo. “É um incremento essencial e muito significativo para a instituição. A entrada de vocês vem para fortalecer. Ao longo desse tempo vem sendo construída com bons recursos, equipamentos modernos e a tendência é melhorar sempre e cada vez mais. É uma área muito importante para a resolução desses problemas que ainda assolam a sociedade brasileira. A Pefoce tem esse papel importante nesse circuito de responsabilidades”, enfatizou Izolda.

 

Ganho quantitativo e qualitativo

De 2016 para cá, a Pefoce mais que dobrou seu quadro de servidores com a posse de 128 servidores naquele ano e mais 212 agora, saindo de 303 profissionais para os atuais 611. Com o aumento de servidores, a Pefoce vai poder ampliar serviços que corroboram com o combate à criminalidade, como a identificação balística e a perícia contábil para asfixiar financeiramente as organizações criminosas.

 

O secretário da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social, Sandro Caron, destacou como essa função é primordial para a geração de bons resultados. “O maior desafio no combate à violência no Brasil é o combate ao crime organizado. Para isso é preciso inteligência e investigação policial. Para que se tenha investigação de qualidade precisamos ter uma Polícia Civil bem estruturada, treinada e capacitada. E precisamos também da Perícia Forense, que é a polícia cientifica. Ela é quem produz a prova científica, técnica e o laudo pericial, que, na maioria das vezes, leva à condenação. Só teremos resultados concretos se o sistema funcionar. É fundamental que todos os órgãos de segurança trabalhem integrados e em harmonia”, pontuou Sandro Caron.

 

O perito geral do Ceará, Júlio Torres, destacou o ganho operacional e qualitativo que o órgão ganha com os novos servidores. “A Pefoce está tendo um incremento de 50% no número de servidores. Isso representa uma nova fase da Perícia Forense do Ceará e uma grande responsabilidade. Pude observar que essa turma é diferenciada. Aqui não estão só sonhos, estão pessoas comprometidas com a Perícia Forense e acredito que nos próximos meses teremos um ganho substancial”, comentou Júlio.

Caminho percorrido

Para chegar a essa última etapa, os empossados tiveram que passar pelas provas do concurso público, realizado em 2021, e demais etapas até o curso de formação. Na capacitação os agora servidores aprenderam sobre medicina legal, identificação, direitos humanos, direito constitucional, criminalista geral, DNA forense, balística e tiro defensivo, dentre outros conhecimentos específicos. Foram 540 horas/aula.

O concurso da Pefoce foi o primeiro realizado pelo Governo do Ceará após a aprovação da lei de cotas raciais. Vitor Hugo Freire, aprovado para o cargo de auxiliar de perícia, reconheceu a importância de iniciativas como essa para diminuir a distância entre raças. “A aplicação das cotas nos concursos públicos é muito importante porque garante a inclusão de muitas pessoas. Sabemos que os negros e pardos possuem mais dificuldade no acesso à educação devido ao histórico de discriminação no Brasil. Porém, com as cotas, podemos garantir um pouco mais de igualdade entre todos”, enfatizou o novo servidor.

 

Fhilipe Augusto – Comunicação Institucional e Sara Sousa – Ascom Pefoce – José Wagner e Carlos Gibaja Fotos


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp