Brasil

Combustível mais caro leva 30 mil motoristas de aplicativos a devolverem seus carros

Por Emily Nery

Longo tempo de espera e cancelamentos de corridas estão entre as principais reclamações de usuários da Uber e da 99. Do outro lado, motoristas denunciam os baixos repasses das tarifas, congelados desde 2015, e o preço do combustível nas alturas. Como consequência da “debandada” dos aplicativos, 30 mil veículos foram devolvidos às locadoras desde junho.

De acordo com os dados da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (Abla), antes da pandemia, cerca de 200 mil veículos eram alugados para fins profissionais. Com o início da pandemia, o número de aluguéis para
Usuários reclamam da demora para conseguir um carro de aplicativo e de cancelamentos de corridas.

Um ano e meio depois, esse número subiu, embora não tenha chegado ao patamar anterior à pandemia. Atualmente, 170 mil veículos são alugados para motoristas de aplicativo. Essa diferença de 30 mil automóveis reflete dois grandes problemas enfrentados por profissionais da área: o preço do combustível e a taxa repassada pelas empresas.

Em setembro, a Uber reajustou a taxa repassada aos motoristas em 35% em São Paulo e na região metropolitana. Isso valerá apenas para viagens feitas no UberX – categoria mais popular do aplicativo.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp