Nordeste

Comitê Científico do Consórcio Nordeste contesta Marcelo Queiroga e pede que estados mantenham vacinação de adolescentes

Da Redação

 

O Comitê Científico de Combate ao Coronavirus do Consórcio Nordeste divulgou nesta sexta-feira (17) uma nota em relação à nova recomendação do Ministério da Saúde para suspender a vacinação de adolescentes sem comorbidades. O Consórcio criticou o fato de o ministro da saúde, Marcelo Queiroga, ter dado entrevistas defendendo a nova recomendação, mas sem conseguir explicar com clareza as razões da mudança na orientação anterior, que autorizava a vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos, com ou sem comorbidades, com a vacina da Pfizer disponível no Brasil.

O Comitê recomendou aos Estados e Municípios que não alterem suas programações de vacinação dentro das disponibilidades de doses de vacinas.

“Este Comitê Científico faz coro com as manifestações da Sociedade Brasileira de Imunizações e de respeitados especialistas, no sentido que as justificativas apresentadas pelo MS não são claras e não têm sustentação científica”, diz.

O Consórcio Nordeste salientou que a Organização Mundial da Saúde (OMS) não é contrária à vacinação de adolescentes “com ou sem comorbidades”, e que recomenda a utilização de vacinas de mRNA, como a da Pfizer para o uso em pessoas acima de 12 anos;

Ainda aponta que Ao aprovar a referida vacina para adolescentes entre 12 e 17 anos, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não restringiu a administração a pessoas com comorbidades;

A vacinação de adolescentes sem comorbidades foi autorizada pelo Ministério da Saúde no capítulo 3.1 da Nota Técnica Nº 36/2021-SECOVID/GAB/SECOVID/MS, de 02 de setembro de 2021, e no capítulo 4.3.3.2 da 10ª edição do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a covid-19 (PNO), de 15 de agosto de 2021, diz ainda.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp