BAHIA

Cooperativas da agricultura familiar firmam contrato pioneiro com empresa de Biodiesel no Nordeste

 

A Cooperativa Agroindustrial de Pintadas (Cooap) e a Frigbahia, localizadas no município de Pintadas assinaram o primeiro contrato com uma empresa de biodiesel no Nordeste sob a nova portaria do Governo Federal, que reestrutura o Selo Biocombustível Social.

 

A ação, que tem foco no Norte e Nordeste do país, busca fortalecer a inclusão da agricultura familiar na cadeia produtiva do biodiesel, um dos pilares do Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel (PNPB).cA medida visa combater as desigualdades regionais e ampliar a sustentabilidade do programa nacional de produção e uso do biodiesel. Na prática, a matéria permite que produtores de biodiesel que adquirirem matéria-prima e fomentarem o fortalecimento da agricultura familiar tenham direito a incentivos tributários.

 

O projeto de ovinos e caprinos na Bahia, que se inicia com a parceria entre a empresa de biodiesel Fuga, a Cooap e Frigbahia  viabilizado pelo novo selo Biocombustível Social envolve numa primeira fase 80 famílias, com uma expectativa de faturamento de quase R$ 3 milhões em um ano e aportes de R$ 300 mil em assistência técnica fornecida pela Fuga.

 

Segundo Wanderley Silva, presidente da cooperativa Cooap a ideia é que a renda mensal de cada família suba de R$ 2.100 para R$ 3.400, representando uma melhoria de mais de 50%. Além disso, Gomes enfatizou as oportunidades futuras: “Este é apenas o primeiro contrato. É a primeira empresa com a qual firmamos contrato. Mas há uma diversidade de oportunidades que surgirão, com mais empresas interessadas em fazer negócios com nossas cooperativas. Tanto no ramo da caprinocultura quanto em outros ramos relacionados a gêneros alimentícios”.

 

Osni Cardoso, secretário de Desenvolvimento Rural da Bahia, explicou que a partir de agora, todos os fornecedores de biodiesel que detêm o selo social precisam adquirir matéria-prima de famílias agricultoras para conseguirem benefícios fiscais e comerciais.

 

“Essa é uma agenda de meio ambiente e, sobretudo, de desenvolvimento sustentável, geração de emprego e renda. A iniciativa revela o compromisso do nosso governador Jerônimo e do presidente Lula com a diversificação das culturas no campo e a promoção da inclusão socioprodutiva”, acrescentou Osni Cardoso.

 

Sobre o Selo

 

O Selo Biocombustível Social é uma ferramenta essencial para garantir benefícios fiscais e comerciais aos produtores de biodiesel que adquirirem matéria-prima de agricultores familiares. Segundo dados do Governo Federal, mais de 58 mil agricultores serão beneficiados inicialmente, com expectativa de ampliação para mais 14 mil famílias até 2025.

 

Em 2024, a compra de produtos nas regiões Norte, Nordeste e Semiárida está estimada em R$ 740 milhões, alcançando R$ 1,6 bilhão a partir do próximo ano.

 

O projeto, apoiado pelo Governo da Bahia, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural, poderá ser ampliado para mais cinco cooperativas, envolvendo ao menos 280 famílias diretamente. Começa no município de Pintadas e pode seguir para Oliveira dos Brejinhos, Santa Luz, Manoel Vitorino e Juazeiro.

 

Na terça-feira (18), o Ministério do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (MDA) atualizou a portaria do Selo Biocombustível Social. O objetivo é impulsionar a participação da agricultura familiar, especialmente das regiões Norte, Nordeste e Semiárido, na produção de biodiesel.

 

 

 

 

 


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp