Brasil

Dallagnol não fez outra coisa na Lava Jato a não ser política, diz Renan

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) criticou o procurador Deltan Dallagnol após a informação de que o procurador pretende disputar um cargo nas eleições de 2022.

 

“‘Dallagnol vai entrar na política’ é modo de dizer. Ele não fez outra coisa na Lava Jato, só politica. Por isso foi denunciado e punido pelo CNMP, por isso foi apanhado em flagrante na Vaza Jato e na Spoofing, por isso eu o processei, ganhei a causa e o condenei duas vezes”, escreveu o parlamentar no Twitter.

 

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) aplicou em 2019 a punição de advertência a Dallagnol, a pedido do então presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli. O motivo foi uma entrevista do procurador à rádio CBN no dia 15 de agosto de 2018, quando ele criticou ministros do Supremo pela retirada de trechos de depoimentos da Odebrecht do Paraná e envio ao Judiciário de Brasília.

 

Naquele dia, o procurador disse que os ministros responsáveis pelo voto a favor da decisão formavam uma “panelinha” e mandavam uma mensagem “muito forte de leniência a favor da corrupção”.

 

O juiz Ivan Vasconcelos Brito Junior, do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ-AL), determinou que Dallagnol pague R$ 40 mil a Renan por danos morais.

 

O procurador criticou o parlamentar em várias ocasiões nas redes sociais. Em janeiro de 2019, ele publicou o seguinte tuíte: “Se Renan for presidente do Senado, dificilmente veremos reforma contra corrupção aprovada. Tem contra si várias investigações por corrupção e lavagem de dinheiro. Muitos senadores podem votar nele escondido, mas não terão coragem de votar na luz do dia”.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp