Pernambuco

Em Recife, manifestantes fazem ato contra Bolsonaro e PM atira balas e borracha e gás lacrimogênio contra participantes

Ato aconteceu na manhã deste sábado (29), no Centro da cidade. Ação da Polícia Militar começou na Avenida Guararapes.

 

Manifestantes realizaram, neste sábado (29), no Recife, um ato contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), e pedindo a aceleração de medidas de prevenção à Covid-19, como a campanha de vacinação e auxílio emergencial de ao menos, R$ 600.

 

Durante o ato, a Polícia Militar atirou balas de borracha e gás lacrimogênio contra os participantes. A manifestação terminou por volta das 13h.

O protesto é parte de uma ação nacional, realizada em diversas cidades do Brasil. Com faixas e cartazes contrários ao presidente, eles cantaram e gritaram palavras de ordem.

 

O grupo de pessoas se reuniu na Praça do Derby, no centro do Recife. Eles seguiram em caminhada pela Avenida Conde da Boa Vista, na mesma região.

 

A via foi interditada nos dois sentidos.

Por volta das 11h30, a manifestação chegou à Ponte Duarte Coelho. No local, a Polícia Militar começou a dispersar os manifestantes.

Bombas de gás lacrimogênio e balas de borracha foram atiradas contra os participantes do ato. As pessoas debandaram correndo após a chegada dos PMs e as bombas de gás sendo jogadas. A confusão ocorreu, também, na Rua da Aurora.

 

A vereadora do Recife Liana Cirne (PT), que participava do ato, divulgou nas redes sociais que foi atingida por spray de pimenta por policiais. Durante a confusão, uma mulher passou mal e recebeu atendimento em uma viatura da polícia.

 

A reportagem questionou a corporação sobre o porquê da ação truculenta, mas não obteve resposta até a última atualização deste noticiário.

As faixas carregadas pelos participantes do ato tinham frases como “estou na rua porque Bolsonaro recusou mais de 150 milhões de vacinas”, “fora Bolsonaro” e “fora Bolsonaro genocida”. Na caminhada, os manifestantes se organizaram em filas, para tentar respeitar um distanciamento social mínimo e prevenir o contágio pela Covid.

 

O ato foi organizado por centrais sindicais e movimentos sociais. Também houve, durante a concentração para a manifestação, distribuição de máscaras do tipo PFF2, nomenclatura brasileira que é equivalente à americana N95, cujo potencial de filtragem é maior que máscaras de pano.

*G1PE


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp