Arquivo Nordeste

ENTREVISTA: Governadora Fátima Bezerra prevê medidas ainda mais restritivas na pandemia e aponta problemas na logística da vacinação 

A nova edição da Revista NORDESTE, de número 169, publicou entrevista exclusiva com a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), que diz como o Estado está enfrentando a pandemia da Covid-19. Em conversa com o jornalista Walter Santos, a gestora prevê mais problemas com medidas restritivas e para resolver a imunização da população contra o coronavírus.

A nova edição da Revista NORDESTE está disponível nas bancas e também para leitura no modo virtual (CLIQUE AQUI para acessar).

LEIA NA ÍNTEGRA:

OS EFEITOS NOCIVOS DA COVID A EXIGIR SACRIFÍCIO E DECISÕES

Governadora Fátima Bezerra prevê ainda muitos problemas para resolver vacinação, mas foca gestão em medidas para superar crise

Por WALTER SANTOS

O Estado do Rio Grande do Norte não para de focar as políticas de emergência para vacinar sua população convivendo com as dificuldades da conjuntura pela chegada em dosagem da Vacina muito aquém do desejado, mas anda firme no propósito de resolver tudo em 2021. Aliás, este é o ano no qual a governadora Fatima Bezerra reserva suas energias para construir saídas econômicas no decorrer dos meses em varias frentes. Eis a integra da Entrevista Exclusiva:

Revista NORDESTE – O ano começa com foco na vacinação. Qual o cenário projetado pela Sra. neste contexto para vacinar os norte-riograndenses?

Fátima Bezerra – Veja bem, antes mesmo do início da distribuição das vacinas por parte do Governo Federal, nós anunciamos, em meados de dezembro do ano passado, o Plano Estadual de Operacionalização para a Vacinação contra Covid-19, que foi feito em consonância com as coordenadas do Plano Nacional de Vacinação. Nós temos todo interesse na imunização dos potiguares o quanto antes e, diante disso, concomitante ao nosso Plano de vacinação, já tomamos as medidas em âmbito estadual para instalação da rede de frio, aquisição de insumos como seringas e agulhas e capacitação para os vacinadores. Tão logo o primeiro lote de vacinas chegou no nosso Estado, demos início à distribuição das vacinas para os municípios, com o imperativo de que quem deveria ser vacinado nessa primeira fase são os profissionais da saúde e os idosos e idosas institucionalizados.

Entrevista com a governadora Fátima Bezerra, do Rio Grande do Norte (Reprodução Revista NORDESTE)

NORDESTE – Qual o futuro esperado para o Estado?

Fátima Bezerra – O que projetamos em termos de vacinação para o nosso Estado é um cenário de imunização de pelo menos 95% da nossa população. É isso que queremos e isso que vamos lutar junto ao Governo Federal, e em conjunto com o Consórcio de governadores da região Nordeste. Um pleito meu é que os professores e professoras sejam incluídos nos grupos prioritários. Nós não podemos pensar em volta às aulas sem que os profissionais da Educação estejam devidamente protegidos e imunizados. Fato é que estamos nos planejando e prontos para o enfrentamento dessa pandemia desde que começaram a surgir os primeiros casos. E continuamos nessa luta e não vamos descansar enquanto a população do Rio Grande do Norte esteja protegida.

NORDESTE – Como o estado tem estocado seringas e agulhas diante do retardamento do governo federal?

Fátima Bezerra – A Secretaria de Saúde Pública do Governo fez um estoque inicial com mais de 900 mil seringas e agulhas, que cobrem todo o público prioritário da primeira fase. Também lançamos o processo de compra de mais dois milhões de seringas, já pensando na continuidade do plano de imunização contra a Covid-19.

NORDESTE – Com base na LOA, quais os investimentos projetados visando reaquecer a economia do Estado?

Fátima Bezerra – Foi desafiador elaborarmos nosso projeto de lei orçamentário para esse ano, devido às mudanças sociais e econômicas porque passamos por conta da pandemia e o clima de incertezas que ainda temos de enfrentar. Sobretudo, porque ainda há dificuldades para fazermos projeções e porque o Governo Federal prevê um decréscimo de quase 5% no PIB nacional. Nossas projeções estão em torno dos R$ 13,2 bilhões em receitas e temos que equacionar um déficit de cerca de R$ 920 milhões, fruto que ainda herdamos de gestões passadas.

NORDESTE – Qual a realidade fiscal do estado?

Fátima Bezerra – É importante lembrar que nosso Estado apresentou crescimento econômico em 2020, porque tomamos diversas medidas para incentivar a arrecadação de impostos, além de abertura de novas empresas, incluindo aí os microempreendedores, e isso é um sinalizador de que as medidas que tomamos podem ser alvissareiras para o ano de 2021, no âmbito econômico, porque continuaremos a trabalhar com a retomada da capacidade de investimento do nosso Estado, principalmente em infraestrutura.

NORDESTE – Qual a causa desta realidade?

Fátima Bezerra – A modernização da política tributária que estamos fazendo impediu a saída de mais empresas do nosso Estado e estamos atraindo novos investimentos em áreas importantes, como é o caso da energia eólica, fruticultura, gás, petróleo, dentre outros. Portanto, nossa LOA 2021 visa alcançar as metas administrativas, que incluem alterações na legislação tributária estadual; o equilíbrio entre receitas e despesas, limitação de empenho e controle de custos e avaliação dos resultados dos programas financiados com recursos públicos; disposições relativas à política e à despesa com pessoal do Estado e encargos sociais, além da  política de aplicação de recursos da nossa Agência de Fomento.

NORDESTE – O Consórcio Nordeste anuncia dezenas de projetos para os vários estados. Como a Sra. encara as estratégias conjuntas do Consórcio?

Fátima Bezerra – O Consórcio Nordeste é um importante instrumento que foi criado para fortalecermos a região. Do ponto de vista estratégico, sabemos que com união nos fortalecemos e nos tornamos  mais competitivos; o grupo formado pelos nove governadores funciona tanto no campo político, quanto administrativo, porque podemos fazer economias na compra de bens e serviços, compartilhamos também bons exemplos de gestão e isso tem sido extremamente importante para algumas áreas como saúde e educação.

NORDESTE – De que forma o Turismo, a partir de Natal pode reaquecer a economia?

Fátima Bezerra – O Rio Grande do Norte tem sido visto como um dos destinos mais seguros para o turista brasileiro e internacional e isso é fruto de muito trabalho. Nós fomos o primeiro estado brasileiro a receber o selo Safe Travels, do WTTC, e com a criação do selo local Turismo+Protegido, recentemente a capital Natal chegou a ser apontada por pesquisa do Ministério do Turismo, que ouviu agências e organizações de viagens, como a cidade mais cobiçada para a alta estação 2020/2021. Nós temos um compromisso de Governo de restabelecer o turismo potiguar, que vinha perdendo pontos ao longo dos anos.

Entrevista com a governadora Fátima Bezerra, do Rio Grande do Norte (Reprodução Revista NORDESTE)

NORDESTE – Cite uma política específica de estímulo…

Fátima Bezerra – Para vocês terem uma ideia, nós assinamos um decreto no nosso primeiro ano de gestão, que estabeleceu regras para redução dos impostos de querosene de aviação (QAV) e a alíquota de tributos pode chegar em zero percentual. Importante dizer também que nosso trabalho é intersetorial, envolvendo o turismo sem perder de vista ações no âmbito da saúde e infraestrutura, por exemplo. E foram essas ações conjuntas, seguindo todos os protocolos de biossegurança e o que diz a Ciência, que tornou possível a reabertura gradual e responsável de nossas atividades turísticas.

NORDESTE – Que outras medidas atestam reforço ao segmento?

Fátima Bezerra – Em paralelo a isso, não medimos esforços do ponto de vista de negociações com operadoras e companhias de viagens turísticas ano passado, o que nos levou a um incremento da malha aérea em território potiguar. Agora, nessa alta temporada, a estimativa para janeiro foi de que 220 mil passageiros passaram pelo Aeroporto Internacional de nossa capital, com 312 pousos extra, para atender a demanda do período. Atualmente, nós estamos com 49 voos diários para os principais aeroportos do Brasil.

NORDESTE – A Sra. mantém a equipe original ou admite ajustes?

Fátima Bezerra – Nossa equipe possui perfil extremamente técnico e o que é importante afirmar sobre isso é que manteremos esse perfil para garantir a gestão que o povo do Rio Grande do Norte precisa e merece.

 

http://revistanordeste.com.br/entrevista-governadora-fatima-bezerra-preve-medidas-ainda-mais-restritivas-na-pandemia-e-aponta-problemas-na-logistica-da-vacinacao/

 


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp