Bahia

Escola é acusada de omissão em caso de racismo, em Salvador

O deputado federal Jorge Solla (PT-BA) pediu, nesta quarta-feira (10), ao Ministério Público da Bahia que investigue a direção do colégio particular SEB Sartre, em Salvador, acusada de omissão após alunos trocarem mensagens racistas em grupo de Whatsapp.

Prints que vazaram no Instagram mostram mensagens como: “Pretos morram”; “Pode macaco no gp?” e “Baniram piada de negros porém não sabem que os negros já são a piada”. Segundo relato de um estudante que não quis se identificar ao jornal Correio de Salvador, a coordenadora passou nas salas de aula nesta segunda-feira, mas não falou do assunto abertamente.

 

“Nem o professor conseguiu entender do que se tratava. Ela disse que a situação não precisava se transformar em opressão”, contou o aluno, que afirmou que o termo opressão utilizado pela coordenadora foi uma forma de evitar constrangimentos aos autores das mensagens.

com Revista Fórum


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp