Política

Fachin defende eleições e critica “desertores da democracia”

O ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin afirmou que há um agravamento de práticas autoritárias no Brasil. De acordo com o magistrado, existem “desertores da democracia” que se acham “acima da Constituição”. O ministro disse ter “grande preocupação” com “o que se avizinha no horizonte”.

 

“Eleições periódicas não constituem por si só o remédio para a bula democrática, mas são imprescindíveis. E, portanto, diluir o processo eleitoral, diluir o sistema eleitoral está criando um novo tipo de desertor no Brasil, que são os desertores da democracia”, complementou Fachin durante evento da Associação dos Juízes Federais (Ajufe).

 

Segundo o ministro, “não é hora de silenciar”. “Calar agora é cumplicidade. E como magistrado não vou cruzar os braços diante da violência contra a Constituição”, continuou. “Essa deserção [da democracia] precisa ser apontada e deve merecer a reação de todas as instituições, quer seja dentro do estado quer estejam na sociedade civil”, disse.

 

Na live desta quinta-feira (17), Bolsonaro afirmou que, se não existir o chamado “voto auditável” nas urnas do próximo ano, um lado poderia não aceitar os resultados da eleição e “criar uma convulsão no Brasil”.

Com 247


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp