Nordeste

Família denuncia estupro coletivo contra adolescente em Pernambuco: ‘botaram arma na cara dele’

Os pais de um adolescente de 12 anos afirmaram à polícia que o filho deles sofreu estupro coletivo por outros estudantes em uma escola pública na zona sul de Recife (PE). A família mudou de cidade com medo de agressões a ele e aos seus parentes. Em respeito ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), os nomes do garoto, do pai e da mãe dele não foram divulgados. As informações foram publicadas nesta quinta-feira (21) pelo portal G1.

 

De acordo com os pais, alunos iam atrás do jovem dentro de sala de aula, onde ele continuava no horário de intervalo porque tinha medo. “Eles entravam, jogavam ele no chão e espancavam ele ali, no chão, para ninguém ver. Chegaram ao ponto de levar ele para o banheiro, né? Aí, botaram arma na cara dele. E foi quando três deles seguraram ele e os outros cometeram o abuso”, relatou a mulher.

 

A mãe percebeu os primeiros sinais da agressão quando viu marcas pelo corpo do menino. Durante vários dias, o adolescente fingiu ir para a escola, mas faltou às aulas sem que a família soubesse.

 

O adolescente fez exame no Instituto de Medicina Legal (IML) após o registro do boletim de ocorrência.

Em nota, a Delegacia da Criança e do Adolescente (DPCA) informou que “o inquérito policial será remetido para a Delegacia de Polícia de Atos Infracionais da Criança e do Adolescente, pois durante as diligências foi constatado que os suspeitos do ato são adolescentes. Mais informações não podem ser repassadas no momento”.

247


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp