Pernambuco

Fiéis homenageiam Nossa Senhora do Carmo no dia da padroeira do Recife

As restrições devido à pandemia da Covid-19 não impediram que centenas de pessoas fossem à basílica nesta sexta (16) para pedir graças e agradecer pelas bênçãos alcançadas.

 

Fiéis foram à Basílica de Nossa Senhora do Carmo, no Centro do Recife, nesta sexta-feira (16), para homenagear a padroeira da capital pernambucana. As restrições devido à pandemia da Covid-19 não impediram que centenas de pessoas saíssem de casa para pedir graças e agradecer pelas bênçãos alcançadas.

Durante a missa presidida pelo arcebispo metropolitano de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido, muitos fiéis vestiram a cor amarela em homenagem à Nossa Senhora do Carmo. Uma imagem da padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida, vinda do Santuário Nacional de Aparecida, em São Paulo, participou da celebração para homenagear os 100 anos da Basílica do Carmo.

“Nossa senhora é a mãe e ela atrai os fiéis de uma maneira impressionante. Você vê que todas as festas de Nossa Senhora são de uma participação muito bela. E, graças a Deus, esse ano a gente pôde avançar um pouco mais e a festa teve uma maior participação, também celebrando o início do centenário da basílica”, afirmou o arcebispo.

A auxiliar de serviços gerais Edjane Alves, de 52 anos, além de uma camisa amarela, colocou uma máscara com a imagem da padroeira e levou uma flor amarela para agradecer por ter se recuperado após uma doença grave.

“Eu venho aqui há 15 anos e esse ano é o ano mais sério da minha vida. Fiz uma cirurgia e meu Deus e minha Nossa Senhora me livraram de morrer. Foi uma cirurgia urgente, no meu estômago. Eu não me alimentava mais, perdi 20 quilos”, contou.

Moradora de Itapissuma, no Grande Recife, Edjane chegou cedo à Basílica de Nossa Senhora do Carmo. Ela ficou emocionada ao falar da sua fé. “Sou devota dela. Ela é a minha mãe e eu não poderia faltar. Ela é a nossa mãe, é que nos protege. O importante é a fé. Tenha fé, que você consegue”, disse.

 

Basílica do Carmo

 

A Basílica de Nossa Senhora do Carmo, com sua torre de 50 metros de altura, e o convento formam o conjunto arquitetônico católico que pertence à ordem carmelita. Imponente, guarda uma história que vem do século 17 (veja vídeo acima).

“A história nos conta que os frades carmelitas se estabeleceram aqui no Recife no ano de 1654. O lugar onde hoje é construída a basílica serviu como Palácio da Boa Vista, construído por Maurício de Nassau, em 1643. Era lugar de repouso e lazer para ele, na época da ocupação holandesa. Depois da expulsão dos holandeses, foi cedido à ordem dos carmelitas”, explicou o frei Jander Maria de Jesus.

Dia de Oxum

Enquanto na Igreja Católica se comemora, nesta sexta (16), o Dia de Nossa Senhora do Carmo, os devotos de religiões de matriz africana celebram Oxum, orixá feminino das águas doces e do ouro, regente da harmonia e do equilíbrio emocional.

Todo o mês de julho é dedicado à louvação a Oxum. Nesta terceira semana de julho, a casa de Olassá Arraial Bom Jesus, no bairro do Cordeiro, na Zona Oeste do Recife, está vestida com a cor de Oxum. O amarelo está nos enfeites, nas flores, nas roupas.

Para as filhas de Oxum, o momento é de pedir proteção. “A maior riqueza de Oxum é as águas. Oxum representa toda a nossa vida, todo o nosso amor, carinho e respeito”, afirmou a ialorixá Ina de Oxum.

 

 

*G1PE

 


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp