Ceará

Funcionária de Pamella e DJ Ivis presta depoimento nesta quarta; 10 já foram ouvidos pela Polícia Civil do Ceará

Na terça, um dos funcionários do produtor musical, que inclusive aparece em uma das cenas de agressão, depôs na Grande Fortaleza.

 

A série de depoimentos prestados à Polícia Civil do Ceará sobre o caso de agressão contra a arquiteta e digital influencer Pamella Holanda, ex-mulher do DJ Ivis, continua nesta quarta-feira (14) com o depoimento de Maria Vaneide da Silva, então funcionária do casal. Ela trabalhava como doméstica na residência deles e pode ajudar na obtenção de informações sobre as violações cometidas pelo produtor musical.

Ela não foi convocada para depor, mas deve comparecer espontaneamente à Delegacia Metropolitana de Eusébio, na Região Metropolitana de Fortaleza.

Até esta quarta, pelo menos 10 pessoas já foram ouvidas pelas autoridades policiais que investigam o caso de lesão corporal no contexto de violência doméstica contra Pamella Holanda. O caso é acompanhado pelo Departamento de Proteção aos Grupos Vulneráveis (DPGV) da Polícia Civil.

 

Nesta terça-feira (13), um funcionário que aparece em um dos vídeos nos quais DJ Ivis agride Pamella Holanda prestou depoimento.

 

No domingo (11), Ivis publicou vídeos nas redes sociais revelando que o homem é um funcionário que ele trouxe da Paraíba ao Ceará.

 

“Eu trouxe ele da Paraíba para cá porque eu não aguentava mais sofrer sozinho”, explicou o artista. A mãe de Pamella Holanda também aparece nos vídeos, mas ainda não há confirmação se ela foi ouvida pelas autoridades policiais.

 

Essa mulher [que aparece no vídeo] é a minha mãe, e ela não esboça nenhuma reação porque ela tinha medo. Eu nunca contei pra ela [sobre as agressões], ela chegou a saber presenciando.”

 

Pamella comenta agressões

 

Pamella Holanda, afirmou nesta terça-feira (13), em entrevista ao programa “Encontro com Fátima Bernardes“, da TV Globo, que foi agredida pelo músico porque amamentou a filha quando estava diagnosticada com Covid-19. Pamella afirmou que foi orientada por seus médicos a seguir amamentando a criança, mas o cantor era contra.

 

“A Mel tinha quase um mês. Naquela ocasião eu estava com Covid, e todos os médicos me aconselhavam a amamentar. Ele não queria. [Ele queria] que eu não amamentasse porque disse que eu ia passar Covid”, disse Pamella.

 

Especialistas ouvidos afirmam que não há evidência de que o leite materno transmite o vírus da Covid. Mulheres com suspeita ou confirmação podem manter a amamentação, desde que sigam recomendação de higiene e dos seus médicos.

 

Após a repercussão das imagens, Ivis foi demitido de produtora em que trabalhava. Pamella recebeu apoio de famosos em manifestações nas redes sociais . 

 

 

Medo e dependência financeira

 

No “Encontro”, Pamella afirmou que sofria agressões desde que estava grávida. Ela disse que não havia denunciado o caso antes porque tinha medo das reações que o DJ Ivis poderia ter e por dependência financeira.

Ela também disse que, antes de divulgar os vídeos, tentou “justificar” as agressões para si mesma pensando que aquilo fazia parte do temperamento dele.

 

*g1ce


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp