Nordeste

Funcionária denuncia racismo e lesbofobia em mensagens de cliente, no Piauí

A funcionária Joelma Figueiredo, de 23 anos e que trabalha em um restaurante, denunciou nas redes sociais ter sido vítima de racismo e lesbofobia, em mensagens enviadas por um cliente, no último sábado (12), em Parnaíba, no litoral do Piauí. Um homem recusou o pedido por ser preparado pela mulher negra e lésbica. As informações foram publicadas pelo portal G1.

 

Na conversa, o cliente disse que esteve no estabelecimento na quarta-feira (9) e lamentou o fato de o hambúrguer ter sido feito por Joelma, que trabalha como chapeira no local.

 

“Desculpe a pergunta, mas meu hambúrguer poderia ser feito por outra pessoa? Lanchei aí na quarta-feira e vi que meu hambúrguer foi feito por uma pessoa que não é do meu agrado. Ela é lésbica e negra, entenda meu lado. A imagem de vocês em primeiro lugar”, disse o cliente em mensagens.

mensagens

Ao receber as mensagens ofensivas, uma mulher alertou Joelma, que acompanhou o restante da conversa. “Tipo de clientes como você não fazemos a mínima questão em nosso estabelecimento. Que o senhor fique sabendo que a ‘negra e lésbica’ é a melhor chapeira da cidade. Vamos na delegacia registrar um B.O. [boletim de ocorrência] contra você”, respondeu a atendente.

 

O homem continuou. “Eu sei, mas sou cliente e devo dar minha opinião e sou sim preconceituoso e racista. E acho que vocês não deviam botar esse tipo de gente pra trabalhar”, continuou ele.

 

Segundo a vítima, não foi possível reconhecer o responsável pelo envio das mensagens. “Ele dizia que tinha ido lá numa quarta-feira, mas, por lá, passa tanta gente. É difícil tentar lembrar. O perfil não possui foto”, comentou.

com 247


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp