Nordeste

Governadora apresenta plano de educação a estudantes com investimento de R$ 400 mi

A governadora, professora Fátima Bezerra, participou de bate-papo com estudantes para apresentar o Programa Nova Escola Potiguar (PNEP) – o maior investimento na Educação da história potiguar. Serão R$ 400 milhões empregados na construção de Institutos Estaduais, novas escolas, reformas, modernização e combate ao analfabetismo. A reunião ocorreu nesta quarta-feira (11), Dia do Estudante, no auditório da Governadoria, em Natal, e contou com representantes de movimentos e grêmios estudantis.

 

“Assistimos a descontinuidade da política educacional de construção dos institutos federais conduzida pelo Governo Dilma e que agora parou de vez. Vivemos um momento não só de crise sanitária, mas hostil na política educacional nacional. Também herdamos um governo estadual financeiramente destruído. E, mesmo assim, investiremos esse recurso em educação para recomeçar a construção dos Institutos Técnicos, agora mantidos pelo Estado e todo um programa que irá revolucionar a educação em nosso Rio Grande do Norte”, destacou a governadora.

 

O PNEP incluirá a construção de 12 Institutos Estaduais, 11 Centros Estaduais de Educação Profissional, que serão adequados e transformados também em IERNs; além de 10 novas escolas estaduais, reforma em 60 unidades estaduais de ensino e 100 manutenções. Ao todo, o PNEP envolverá 182 escolas estaduais construídas, reformadas e equipadas até 2022. E ainda ações de apoio tecnológico e valorização profissional docente, compra de mobiliários, equipamentos de tecnologias de informação (Ti), compra e manutenção de veículos do transporte escolar, e políticas públicas de combate ao analfabetismo no Rio Grande Norte.

Estudantes vibram com projeto audacioso que tem como meta implantar 12 IERNs

 

A presidente da União Metropolitana dos Estudantes Secundaristas (Umes Natal), Camila Fernanda, ressaltou a importância do PNEP e sugeriu mais investimentos em assistência aos estudantes e incentivo à formação de grêmios estudantis. Para a presidente da Associação Potiguar dos Estudantes Secundaristas (Apes RN), Alana Carolina, “o Governo do Estado contraria a política nacional e faz o estudante sonhar novamente e ir mais longe. Investir em educação de qualidade é uma ação libertadora”.

 

O senador Jean-Paul Prates frisou o trabalho da então deputada e senadora Fátima Bezerra na construção e expansão dos Institutos Federais e, agora, na retomada do projeto com os Institutos Estaduais: “Um investimento dessa magnitude em um Estado pobre e no atual momento é algo impensável. E essa luta de Fátima pelo acesso do filho do trabalhador à educação de qualidade vem de décadas”. O secretário estadual de Educação, Getúlio Marques, lembrou que o PNEP consta no Programa de Governo. “Não é algo recente, mas fruto de um programa amplamente discutido e pensado antes mesmo do início da gestão”.

 

O vereador e estudante Pedro Gorki lembrou o passado ao citar Djalma Maranhão, Paulo Freire e Nísia Floresta como grandes responsáveis por avanços na educação potiguar, e também vislumbrou o futuro com os frutos desse novo investimento. “Modernização, infraestrutura de século 21, ensino profissionalizante, capacitação aos docentes, escolas estaduais no padrão de escolas federais. Esse programa proporcionará o sonho de tantos estudantes”. A vereadora Brisa Bracchi enalteceu: “A Governadora é mãe dos Institutos Federais no RN e agora será dos Institutos Estaduais”.

 

A solenidade contou ainda com as presenças da secretária da Mulher, Juventude e dos Direitos Humanos, Júlia Arruda; da secretária adjunta da Educação, Márcia Gurgel; da deputada estadual Isolda Dantas; da vereadora Divaneide Basílio; da vice-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE); do vice-presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), Roberth Góis; dos coordenadores gerais do DCE da UFRN, da UERN e da Ufersa, Marcos Adriano, Yamara Santos e Ana Flávia; e representante do DCE da UnP, Belisa Machado.

 

“Sem dúvida, estamos diante de uma revolução na educação; revolução que tem tanto a ver com a gente, com o movimento estudantil. A mesma revolução que defendia Paulo Freire, e a mesma que representa a luta do movimento estudantil. Uma luta que não se resume àquela pelo sucateamento. Mas, a luta por mais escolas e menos prisões! Educação também é um ato político e que os estudantes precisam desse espaço de representação nos IERNs. É, sem dúvida, aqui, o maior investimento da história do nosso estado, quando estávamos abandonados pelo poder público, por governos extremamente conservadores, que não entendiam o poder real da educação”, destacou o vice-presidente regional da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), Roberth Gois.

 

Gois lembrou que são negros e negras aqueles que lideram os índices de analfabetismo no país, ao ressaltar a dimensão dos investimentos e planejamento apresentados pela gestão estadual, e que devem tornar menos desigual o acesso à educação.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp