Nordeste

Governadores do Nordeste questionam tratamento ‘desigual’ do Governo Federal no Bolsa Família para a região

O presidente do Consórcio Nordeste, Wellington Dias, encaminhou ofício ao ministro da Cidadania, João Inácio Ribeiro, para questionar a forma desigual e excepcional que a gestão federal tem distribuído os recursos do Bolsa Família.

De acordo com o documento, o cenário que se vislumbra para a região é de uma situação inédita de cortes e redução do orçamento dos principais programas de proteção às famílias.
Wellington Dias citou quatro pontos:

1. Aumento da fila de espera no programa Bolsa Família – o Nordeste passou a ter a maior demanda reprimida do brasil, são 685.954 famílias (38% do Brasil);
2. Redução dos benefícios do Bolsa Família – 48.116 famílias foram excluídas;
3. De março de 2022 a janeiro de 2021, 86;721 famílias entraram na situação de extrema pobreza, sendo que a região Nordeste possui 7.142012 de famílias em situação de extrema pobreza.
4. Aumento de violências, violação de direitos e adoecimento mental. O IPEA fez um levantamento dos órgãos da Covid-19, já temos mais de 45 mil crianças e adolescentes no país nesta situação.

Dias pediu uma região com o ministro e citou que em 202 o consórcio Nordeste foi o STF após o corte de 158.453 famílias do Bolsa Família em 2020, segundo 61% delas no Nordeste.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp