Ceará

Governo do Ceará destinará R$ 500 milhões anuais para apoiar unidades de referência

O governador Camilo Santana apresentou a nova Política Estadual de Incentivo Hospitalar, coordenada pela Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), com o objetivo de facilitar o acesso da população aos serviços hospitalares por meio do aumento no repasse de verba estadual na área da saúde.

 

A apresentação também contou com a presença da vice-governadora Izolda Cela e do titular da Sesa, Marcos Gadelha, e foi transmitida ao vivo pelas redes sociais.

 

A ampliação de recursos contribuirá para o equilíbrio financeiro de unidades de saúde complementares à rede estadual. A medida beneficiará diretamente hospitais polos e estratégicos em 53 municípios. Os recursos são oriundos do Tesouro do Estado e alinhados com o Planejamento Estadual e a Lei Orçamentária, num total de R$ 41,78 milhões mensais. Isso significa mais de R$ 500 milhões por ano, representando aumento de 71,9% do valor total. O pagamento da parcela referente ao mês de janeiro já foi efetuado.

 

 

Para o governador, o desenho da nova política representa o esforço de levar melhor atendimento em saúde para mais perto do cidadão. “Esse é um planejamento que o Estado fez, dentro do pacto federativo entre Estado e municípios, para fortalecer lá na ponta o atendimento à população do Ceará. Essa é mais uma ação importante da Saúde que mostra o compromisso do Governo do Ceará com a saúde pública e com a saúde do povo cearense”, afirmou Camilo Santana, agradecendo a parceria com os municípios.

 

“O sentido é de se aproximar desse horizonte de ter um Ceará de mais acolhimento. A área da Saúde responde muitíssimo por isso. Ter hospitais polos mais fortalecidos com mais condição de atendimento é muito importante”, avaliou a vice-governadora Izolda Cela.

 

A nova Política Estadual de Incentivo Hospitalar tem como diretrizes o cuidado integral ao cidadão, incluindo exames de apoio diagnóstico e terapêutico e tratamento; serviços regulados pelas Centrais de Regulação Regional para os hospitais polos e estratégicos, vinculadas à Central de Regulação do Estado; participação da comunidade por meio dos Conselhos de Saúde, na execução das ações e cumprimento das metas contratualizadas e na garantia do direito a todos; e a busca por boas práticas nos serviços de saúde, qualidade e segurança do paciente e dos trabalhadores.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp