Piauí

Greve dos servidores do INSS completa 41 dias e usuários relatam espera de até cinco meses por perícia médica

Os servidores reivindicam reajuste salarial de quase 20% – referente às perdas de 2019 a 2022 – e melhores condições de trabalho.

 

As solicitações de benefícios ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) no Piauí estão demorando quase cinco meses para serem analisadas pelo órgão. Com a greve dos servidores do instituto, que já dura 41 dias, aumentou o tempo de espera por atendimento e para a realização de procedimentos como, por exemplo, da perícia médica.

Em entrevista, o agricultor José Gomes relatou que está esperando há quase cinco meses para fazer a perícia médica. Ele mora no município de Fronteiras e se deslocou na manhã desta segunda-feira (2) à sede do INSS em Picos para tentar realizar o procedimento.

“Eu trabalho na roça e quebrei minha perna, aí agora não posso trabalhar mais. Ainda não estou recebendo o benefício. Minhas irmãs estão me ajudando”, contou o agricultor.

Os funcionários do INSS de Picos informaram que os atendimentos por senha estão ocorrendo normalmente, contudo, as perícias estão em atraso.

Anteriormente, cinco meses seria o tempo de espera para concessão do benefício. Em janeiro de 2022, segundo o boletim estatístico da Previdência Social, elaborado pela Secretaria de Políticas de Previdência Social/Coordenação-Geral de Estatística, Demografia e Atuária, o tempo médio para a concessão de benefícios no Piauí era de 131 dias – um pouco mais de quatro meses.

A greve

Os servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) no Piauí aderiram à greve nacional de trabalhadores do órgão. A categoria reivindica reajuste salarial de quase 20% – referente às perdas de 2019 a 2022 – e melhores condições de trabalho.

“Queremos uma estrutura mínima para trabalhar. Não temos cadeira, água, por exemplo. Estamos tentando abrir um canal de negociação, porque esse governo nem isso faz”, disse o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Públicos Federais em Saúde e Previdência Social (Sintsprevs), Antônio Machado de Araújo.

 

*g1pi


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp