Nordeste

Juliette: o brilho distinto fabricado no show bussiness, na nova mídia, com autenticidade que Lucy Alves abandonou

E eis que este segundo dia de abril de 2022, exatamente na sequência do dia da Mentira, a verdade exposta na agenda cultural de João Pessoa, capital da Música erudita e popular – temos 4 orquestras sinfônicas- se depara com o brilho singular de Juliette, o fenômeno do universo Cult, agora adentrando na música popular.

 

 

A rigor, desde quando na casa mais vigiada e de maior faturamento financeiro da TV brasileira, já a partir dali Juliette transformou sua raiz cultural, seu caldo histórico em elemento de imposição de seus valores transformando-os em reconhecimento nacional muito além dos clichês.

 

DIFERENTE DE LUCY

Quem começou a vida de artista no âmbito nacional com pegada e símbolo com as raizes nordestinas foi Lucy Alves, outra artista de valor reconhecido, excelente artista, só que na primeira oportunidade pós fama no “The Voice” resolveu se largar do vínculo com as raízes criando novo mito em si, até solto e a merecer consolidação.

 

Juliette nem sei se agiu “de caso pensado”, mas em qualquer condição soube tratar a autenticidade com maior firmeza sabendo-se que o seu conteúdo e caldo cultural emergiu da nova mídia, dos efeitos estrondosos das Redes Sociais, a razão de um perfil vencedor a se manter atraindo empatia.

 

ALÉM DO FENÔMENO

De fato, estamos diante de uma Pop Star com conteúdo, trato estético qualificado e uma base de criação/produção musical a acrescer no seu brilho discursivo, mas com a moral de quem sabe se impor com seu nordestinês tipo exportação.

 

Arretado, diria Marinês- a primeira paraibana a cantar e dimensionar o Nordeste com seu chapéu de couro. Somente Elba Ramalho foi além mar.

 

Eis a síntese de uma vida exitosa em torno de Juliette ainda lhe dando com os efeitos no quengo, faz tempo, por entender que é preciso saber conviver com os efeitos da fortuna, senão pira.

 

Anotem: tudo isso com disciplina.

Inté.

 

BELA ENTREVISTA

Muito bom acompanhar a conversa descontraída e inteligente de Juliette ao nosso Chefe de Redação, Ângelo Medeiros, em entrevista com padrão universal.

www.wscom.com.br – o primeiro site do Nordeste criado em 1999 até  hoje com inovação e credibilidade.

ÚLTIMA

“Em terra de cego/quem tem um olho é rei”


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp