Pernambuco

Marília Arraes contesta argumento de Bolsonaro para vetar PL dos absorventes e diz que foi apontada fonte do recurso

A deputada federal Marília Arraes (PT-PE) criticou o argumento de Jair Bolsonaro de que vetou a distribuição gratuita de absorventes femininos porque não teria a indicação sobre a fonte do dinheiro para a implementação da medida. A proposta, de autoria da petista, contempla estudantes de baixa renda de escolas públicas e mulheres em situação de rua ou de vulnerabilidade extrema.

 

“Fizemos estudos de impacto financeiro do projeto, apontamos de onde viria o dinheiro, tudo acordado com lideranças, inclusive do governo, no Senado, na Câmara. O veto de Bolsonaro é um ato de misoginia, de desconexão com a realidade das mulheres, que, no mundo inteiro, tem a questão da dignidade menstrual”, afirmou. “A quem será que interesse que temas como esses, como a dignidade menstrual, se resume à esfera privada”.

 

“Estamos nos mobilizando no Congresso para que o veto seja colocado em pauta e a gente possa derrubar este veto. Estamos nos organizando na bancada feminina”, complementou.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp