Nordeste

Marília Arraes denuncia que Bolsonaro vetou distribuição absorventes para perseguir o PT

A deputada federal Marília Arraes (PT-PE), autora do Projeto de Lei que prevê a distribuição de absorventes para mulheres que se encontram em situação de vulnerabilidade, usou suas redes sociais nesta sexta-feira (8) para denunciar que Jair Bolsonaro vetou o item  em questão como mera perseguição política contra o PT.

 

“Gostaria de enfatizar que Bolsonaro politizou uma questão de saúde pública! E sabemos o motivo do veto. Vocês sabem qual é o meu partido”, disse.

PUBLICIDADE

 

A proposta foi avalizada pelo Senado no dia 14 de setembro e seguiu para a sanção do presidente. Bolsonaro sancionou o projeto, criando o Programa de Proteção e Promoção da Saúde Menstrual, mas vetou o artigo 1º, que previa a distribuição gratuita de absorventes higiênicos femininos, e o artigo 3º, que estabelecia a lista de beneficiárias:

  • estudantes de baixa renda matriculadas em escolas da rede pública de ensino;
  • mulheres em situação de rua ou em situação de vulnerabilidade social extrema;
  • mulheres apreendidas e presidiárias, recolhidas em unidades do sistema penal; e
  • mulheres internadas em unidades para cumprimento de medida socioeducativa.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp