Política

MDB pode abrir primeira crise para Pacheco no comando do Senado

O bloco que levou Rodrigo Pacheco (DEM-MG) à presidência do Senado enfrenta o primeiro teste de união nesta terça-feira (2), com a eleição para a Mesa Diretora da Casa. Isso porque o Movimento Democrático Brasileiro (MDB), que abandonou a sua candidata Simone Tebet (MDB-MS), pode terminar o dia sem os cargos que haviam sido prometidos em troca do apoio para a candidatura de Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Pacheco foi escolhido nesta segunda-feira (1º) presidente do Senado, com ampla margem de votos, 57 contra 21 de Tebet, que concorreu como candidata avulsa.

Um dia após ser eleito, o novo presidente da Casa afirmou que todos estão buscando um entendimento em relação à Mesa, “até o último momento”.

“Está praticamente tudo definido. A eleição da primeira vice-presidência que ainda há o pleito de dois senadores da República, de dois partidos. E nós vamos ainda até a décima hora buscar uma convergência. Se não for possível, vai para a disputa do voto da primeira vice”, disse.

“É do processo democrático a pretensão e o pleito de se candidatar. Eu próprio me candidatei pelo partido com seis senadores. Mas obviamente nós vamos buscar essa compatibilização para dar todo o prestígio a todos os partidos da Casa, o que temos buscado até o último momento”, concluiu.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp