Brasil

Ministro da Saúde admite “dificuldade” no fornecimento da 2ª dose da CoronaVac

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou estar “preocupado” com a situação da CoronaVac. Segundo ele, existe uma “dificuldade” em aplicar a segunda dose do imunizante chinês contra a Covid-19 em razão do atraso na importação dos insumos para sua produção.

“Tem nos causado certa preocupação a CoronaVac, a segunda dose. Tem sido um pedido de governadores, de prefeitos, porque, se os senhores lembram, cerca de um mês atrás se liberou as segundas doses para que se aplicassem e agora, em face de retardo de insumo vindo da China para o Butantan, há uma dificuldade com essa 2ª dose”, disse o ministro em comissão do Senado que discute medidas de combate à pandemia.

Queiroga se refere ao fato de que, em 21 de março, o Ministério da Saúde determinou que todas as vacinas armazenadas por estados e municípios para a segunda dose fossem utilizadas como primeira dose.

Alagoas, Pernambuco, Rio Grande do Norte, São Paulo, Amapá e Paraíba limitaram ou suspenderam imunizações por conta da falta das segundas doses. Na Paraíba, a Justiça determinou após ação do Ministério Público que as segundas doses sejam aplicadas.

Com G1


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp