Brasil

Morre aos 81 anos Jacó Bittar, ex-prefeito de Campinas; Lula comenta perda do líder petroleiro

O petroleiro Jacó Bittar, que liderou a primeira greve da categoria, em 1983, em plena Ditadura Militar, morreu nesta quinta-feira 26 aos 81 anos, em Campinas (SP). O presidenciável Lula se manifestou solidário com a família pela morte do ex-prefeito de Campinas.

 

Jacó lutava contra o mal de Parkinson e será velado no Cemitério da Saudade, em Campinas a partir das 11 horas e 30. O sepultamento será no Cemitério de Sousas, também na cidade, por volta das 16 horas e 30.

Bittar foi um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores e um dos idealizadores da Central Única dos Trabalhadores (CUT). O sindicalista também foi o primeiro prefeito eleito pelo partido em Campinas, em 1988. Ele governou a cidade até 1992.

LULA LAMENTA

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva divulgou nota de pesar pelo falecimento do amigo Jacó Bittar, ocorrido na madrugada desta quinta-feira (26). Veja a íntegra:

“Jacó Bittar foi sindicalista, fundador do PT, prefeito de Campinas e um dos grandes amigos que tive na minha vida. Bittar fez parte da mesma geração que renovou o sindicalismo brasileiro durante a ditadura militar, com muita coragem, enfrentando dura repressão. Criou o Partido dos Trabalhadores e a CUT.

LUTAS

Foram anos e anos de luta juntos por um país melhor e mais justo, e de uma convivência querida e carinhosa, uma grande amizade entre nossas famílias e filhos.

A greve liderada por ele em 1983 durou seis dias, paralisando os trabalhos na Refinaria de Paulínia (Replan), localizada na região de Campinas, e da Refinaria Landulpho Alves de Mataripe (RLAM), na Bahia. Entre as principais reivindicações estavam as insatisfações com cortes feitos pelo ditador João Batista Figueiredo nas estatais. “A reação da Petrobras, entretanto, foi implacável: 153 trabalhadores demitidos apenas na Replan, incluindo Jacó”, destaca o Sindipetro-SP, em seus arquivos.

Atualmente Jacó Bittar estava filiado ao PSB, que manifestou pesar:

Bittar deixa um legado de luta pela democracia e pela transformação social do país. Em Campinas, implementou obras que revolucionaram a cidade no transporte coletivo, na área ambiental, na saúde e educação”, diz o partido em nota.

Gleisi Hoffmann, presidente do PT, foi outra personalidade política a lamentar a passagem de Bittar: “O Partido dos Trabalhadores está de luto, pela morte de Jacó Bittar, nosso fundador e primeiro prefeito de Campinas eleito pelo PT, em 1988. Sentimentos e solidariedade aos familiares e amigos”, escreveu a deputada.

A legenda, em nota, relembrou a atuação de Bittar ao lado do ex-presidente Lula e de Olívio Dutra no movimento sindical:

“Jacó Bittar liderou com Lula e Olivio Dutra uma geração de jovens dirigentes sindicais que resistiram à ditadura militar e escreveram páginas decisivas na história da democracia brasileira”, destacou a sigla na publicação.

 


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp