Pernambuco

Morre o compositor Bráulio de Castro, aos 78 anos, no Recife

Segundo a família, ele foi internado com sintomas respiratórios, mas resultado de exame para Covid-19 ainda não saiu. Artistas famosos como Alcione, Jair Rodrigues e Genival Lacerda gravaram composições de Castro.

 

O compositor pernambucano Bráulio de Castro morreu neste domingo (20), no Recife. Ele estava internado em um leito de terapia intensiva do Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip), na região central da capital, com sintomas respiratórios, segundo a família.

 

Canções compostas por Castro foram gravadas por artistas como Alcione, Jair Rodrigues, Genival Lacerda, Benito di Paula, além de serem interpretadas por blocos de frevo e cantores de forró.

 

Filha do compositor, Estela de Castro afirmou que o pai fez exame para saber se estava com Covid-19, mas que o resultado não saiu ainda. “Ele já vinha um pouco debilitado, com problemas de sódio. Ele tinha problema de coração. A gente não sabe se ele morreu porque pegou Covid ou se foi por outra questão, pelo coração”, declarou Estela.

 

“Meu pai amava viver e eu espero que ele permaneça vivendo nas pessoas através do legado dele, como artista e como pessoa”, disse a filha.

 

O corpo do compositor vai ser sepultado em Bom Jardim, no Agreste do estado, mesma cidade em que nasceu. Segundo a filha, devido à suspeita da doença, ocorre um cortejo fúnebre de carro para que a população do município se despeça antes do enterro, já que não pode ser feito velório.

 

Casado com a também compositora Fátima de Castro, teve dois filhos. O G1 entrou em contato com Imip para saber sobre a morte de Bráulio de Castro, mas não recebeu a resposta até a última atualização desta reportagem.

Carreira

 

Bráulio José Gomes de Castro nasceu em 18 de agosto de 1942, no Agreste. Compôs frevos, forrós e sambas, gravados por grandes nomes da música brasileira. Participou de diversos festivais de música, tendo canções defendidas por Noite Ilustrada e Demônios da Garoa.

Muitos dos frevos compostos por ele eram executados nas orquestras de blocos líricos do Recife como o Bloco da Saudade, Cordas e Retalhos e Eu Quero Mais. A canção “Eu sou o forró”, feita em parceria com Petrúcio Amorim, foi gravada por vários artistas locais.

Entre composições feitas por Bráulio de Castro, ou em parceria com ele, estão “Desafio”, gravada por Alcione; “Porta é pra bater”, que foi interpretada por Jair Rodrigues; “Bendito seja”, gravada por Benito de Paula, e quatro sucessos na voz de Genival Lacerda: “O rádio”, “O disco”, “Rock do jegue” e “O gravador”.

Luto

 

A prefeitura do Bom Jardim lamenta decretou luto oficial de três dias devido ao falecimento de Bráulio de Castro. Em nota, o prefeito João Francisco da Silva Neto (PL) lamentou a morte.

O município informou que o cortejo fúnebre sai da entrada da cidade, em frente ao Ginásio de Esportes Edson Coutinho, em direção ao cemitério.

Em nota, o Coral Edgar Moraes também lamentou a morte do compositor e exaltou a obra deixada por ele. “Fica o nosso carinho a toda a família, em especial, à sua amada e guerreira Fátima de Castro”, escreveram os representantes do coral nas redes sociais.

 

*G1PE


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp