Ceará

Museu do Ceará recebe fóssil de pterossauro

O Museu de Paleontologia Plácido Cidade Nuvens, da Universidade Regional do Cariri (Urca) recebeu, nesta semana, o fóssil de um pterossauro coletado no sul do País por pesquisadores do Paraná. Com a entrega, o holótipo da espécie Caiuajara dobruskii deve integrar a coleção permanente da instituição.

 

O fóssil foi encontrado no sítio fossilífero “Cemitério dos Pterossauros”, que fica na cidade de Cruzeiro do Oeste, no estado do Paraná, e foi descrito pela primeira vez em 2014. Os pesquisadores estimam que essas espécies viveram no Brasil há cerca de 80 milhões de anos, no período Cenomaniano (Cretáceo Superior).

“Diversos fósseis desse pterossauro foram encontrados em uma camada de ossos denominada de ‘bone bed’ junto com ossos de dinossauros, sugerindo que deveriam viver em colônias compostas por centenas de indivíduos”, assinalou a Urca.

 

Holótipo do pterossauro descoberto do sul do País. — Foto: Divulgação/Cenpaleo

Holótipo do pterossauro descoberto do sul do País. — Foto: Divulgação/Cenpaleo

A doação foi feita pelo professor Luiz Carlos Weinschultz, coordenador do Centro Paleontológico (Cenpaleo) da Universidade do Contestado. Por outro lado, o museu do Cariri doou fósseis de peixes, plantas e insetos ao Cenpaleo.

Conforme a Urca, os fósseis doados serão expostos no Museu da Terra e da Vida, da Universidade do Contestado, em uma fileira dedicada à Bacia do Araripe. A Chapada é uma das três regiões mais ricas em quantidade de fósseis do mundo. Por isso, o tráfico internacional dessas peças ocorre há séculos.

G1


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp