menu

Alagoas

12/04/2016


816 detentos recebem vacina contra sarampo, caxumba, rubéola e hepatite B em AL

Atualmente, 816 internos cumprem pena no Presídio do Agreste, no município de Girau do Ponciano, localizado a 151 quilômetros de Maceió. Todos recebem assistência de médicos, enfermeiros, psicólogos, dentistas e assistentes sociais. A equipe trabalha em regime de plantão, 24h por dia, para prevenir, imunizar e tomar os devidos cuidados para promover a saúde dos apenados.

O presídio é operacionalizado por meio do regime de co-gestão entre a Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) e a empresa Reviver Administração Prisional Privada Ltda, atendendo aos critérios exigidos pela lei.

Nesta semana foi iniciada a campanha de vacinação para combater a hepatite B, sarampo, caxumba e rubéola (tríplice viral). Somente na segunda-feira (11), 83 reeducandos foram imunizados. A estimativa é que todos sejam contemplados nos próximos dias.

A enfermeira Renata Pinheiro afirma que, além da vacinação, é realizado um trabalho de triagem com consulta e educação continuada permanente no presídio. “Fazemos a avaliação de todos os internos. Detectado algum problema, prontamente, encaminhamos o paciente para uma avaliação médica na unidade. Além disso, temos agentes disciplinares e supervisores que acompanham todo o processo”.

Já a enfermeira Amurábia Suassuna lembra que o acompanhamento diário da equipe de saúde, com informações compartilhadas e atualizadas em tempo real, otimizam os serviços ofertados no Presídio do Agreste. “Todas as informações são atualizadas em um sistema informatizado (Siape) e compartilhadas no prontuário eletrônico, facilitando o acompanhamento de hipertenso, diabético e cardiopatas”, explicou Suassuna.

Prevenção – Em mais uma ação conjunta, a Seris e Reviver irão fazer buscas de casos de hipertensos e diabéticos no Presídio do Agreste. A ação alusiva ao Mês de Combate a Hipertensão deverá ser realizada a partir da próxima semana. No início do mês de maio está programada a vacinação contra o vírus H1N1.

Fonte: Agência Alagoas

Notícias relacionadas