menu

Bahia

08/04/2016


ACM promete apreender veículos do Uber: ‘É ilegal’

O serviço de transporte privado Uber começou a operar nesta quinta-feira (7) em Salvador e já tem um inimigo de peso: o prefeito da cidade, ACM Neto (DEM). Ele disse que os motoristas que prestarão o serviço são os mesmos que atualmente fazem transporte clandestino.

"Sou contra o serviço do Uber porque ele passa ao largo de qualquer regulamentação. O que haverá é fiscalização, e sempre que possível, apreensão de quem esteja fazendo esse serviço, que está à margem da lei. Portanto é considerado ilegal pela prefeitura de Salvador", diz ACM Neto em entrevista ao jornal Correio.

Em nota à imprensa, o secretário de Mobilidade de Salvador (Semob), Fábio Mota, reiterou o posicionamento do prefeito, e disse que "a Lei Nacional de Mobilidade Urbana não prevê a utilização deste tipo de serviço".

"São descritos na legislação apenas dois tipos de transporte privado de passageiros, que são os táxis convencionais e os executivos. Além do mais, Salvador, com uma frota de 6.950 táxis comuns e 200 executivos, já possui a quantidade de veículos adequada à população. Se houvesse uma legislação federal autorizando a operação do Uber, nós iríamos respeitar. Caso contrário, trata-se de um serviço irregular", justifica Mota.

O secretário diz ainda que não há nenhuma previsão para a regulamentação de mais um serviço de transporte em Salvador.

"Por enquanto, acreditamos que a frota atual atende perfeitamente as necessidades da cidade. De qualquer forma, em 30 dias iniciaremos o recadastramento dos táxis. Se for constatada, durante a operação, a necessidade de se ampliar a frota, o caso será analisado".

Notícias relacionadas