menu

30/08/2019


Blog do WS: reaparição de Queiroz produz pânico em Bolsonaro e cancela Moro na Paraíba

O jornalista e analista político Walter Santos comenta, nesta sexta-feira (30), o reaparecimento de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro que estava sumido após a descoberta de irregularidades no gabinete do filho do presidente Jair Bolsonaro.

Segundo a análise, a reaparição de Queiroz é a causa para o cancelamento da agenda do ministro Sérgio Moro a João Pessoa.

O ressurgimento de Queiroz inferniza Bolsonaro e impõe presença de Moro em Brasília; eis a causa da ausência na PB

Ninguém se iluda: a crise em torno do ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz, enfim detectado pela reportagem da Revista Veja morando no bairro Morumbi, em São Paulo, para tratamento de câncer no hospital Albert Einstein é a causa central para o cancelamento da viagem do Ministro da Justiça, Sérgio Moro, bem como do diretor geral da PF na inauguração da nova sede da superintendência regional na Paraíba, nesta sexta-feira.

Fabrício Queiroz é o “homem bomba” próximo do presidente Jair Bolsonaro porque em torno dele passam casos e situações graves ligando a família à força da milícia carioca na vida e no processo eleitoral recentemente vencido pelo capitão. A morte de Mariele é um dos graves problemas originados nesta célula.

FRAGILIZAÇÃO

O caso Queiroz deixa o Ministro Sérgio Moro e a Polícia Federal em sério desconforto porque mexe com a essência histórica do “modus operandi” da família Bolsonaro a provocar interferências já registradas em diversos setores, a partir do Ministério Público e superintendência da PF no Rio inibindo as estruturas de fiscalização a chegarem ao desfecho do caso Mariele.

Certamente que , na intimidade, o ministro Sérgio Moro deve revelar seu desapontamento em face da gravidade do caso porque logo ele, ungido à imagem de Salvador da Pátria, hoje sob contestação, está impedido de agir minimante com a inteligência da PF porque passou a ser refém do presidente depois dos vazamentos do The Intercept flagrando-o como agente articulador da Lava Jato e não meramente ex-juiz.
O QUE DIZ A VEJA

Segundo relatos, desvendamento de Queiroz que poderia ter sido feito pela PF com sua capacidade reconhecida de ação, acabou sendo feito pela revista porque o Ministério da Justiça e a própria PF estão sob risco ou controle afetando a condução do caso.

“Sem dar sinais de seu paradeiro desde o dia 12 de janeiro, quando postou um vídeo na internet após uma cirurgia, Fabrício Queiroz foi visto na última segunda-feira na recepção do Centro de Oncologia e Hematologia do Hospital AlbertEinstein , onde são marcados procedimentos como quimioterapia e radioterapia”, revela G1.

Diz mais: de acordo com a revista “Veja”, o ex-assessor do senadorFlávio Bolsonaro (PSL-RJ) mora hoje no Morumbi, na zona sul de São Paulo, para facilitar os deslocamentos para o hospital, onde segue o tratamento contra um câncer de cólon. Alvo de polêmica após o Coaf identificar movimentações financeiras suspeitas de funcionários da Assembleia Legislativa do Estado do Rio ( Alerj ), Queiroz, até então, tinha seu paradeiro desconhecido”.

Segundo a publicação, citando uma pessoa próxima a Queiroz, a cirurgia não resolveu seu problema de saúde e a doença foi agravada. A reportagem flagrou o amigo da família Bolsonaro chegando ao hospital, se dirigindo ao setor de marcação de consultas e exames, e tomando café no final da tarde no centro de oncologia do Einstein. Nas fotos, Queiroz aparece mais magro.

CAUSA E EFEITO

O ministro precisou cancelar sua vinda a João Pessoa, algo que não impediria se não fosse sua condição fragilizada em face dos desdobramentos da Lava Jato, porque precisa monitorar a crise da Capital Federal devendo ser chamado pelo presidente para tratar do assunto.

Imaginem o tamanho da contradição e do efeito bumerangue neste cenário posto porque o homem da moralidade da Lava Jato agora se acanhe e se apequena por não poder aplicar a mesma atitude de comando ao combate à corrupção próximo de onde pontifica.

Certamente os desdobramentos não são nada bons para o stablheshment. Mas vai precisar apurar, sob pena de tudo ruir mais rápido possível.

ÚLTIMA

“Aqui se faz/ aqui se paga”

Notícias relacionadas