menu

Brasil

01/09/2016


Chamado de ‘golpista’, Cristovam cancela audiência pública

Uma audiência pública que estava sendo realizada no Senado Federal sob comando do senador Cristovam Buarque (PPS-DF) nesta quinta (1º) foi cancelada após manifestantes chamarem o político de golpista. A audiência debatia sobre a liberdade de expressão em sala de aula e tinha foco, principalmente, no projeto Escola sem Partido, do qual o senador é relator.

Pessoas presentes passaram a se manifestar de forma repetida, e em vários momentos Cristovam interveio pedindo silêncio.

O ponto alto da tensão ocorreu quando alguns cartazes adjetivando o senador do Distrito Federal de golpista foram levantados. Ele prontamente chamou alguns integrantes do protesto para frente das câmeras e, sob muitas críticas, optou por encerrar a audiência que contava com a presença de alguns professores de universidades e representantes de fóruns de educação e ONGs sobre o tema.

“Se a gente começar a defender os partidos da gente e dizer que os outros não prestam, vocês não são democratas. Vi alguém dizendo que partidos golpistas não têm direito à fala e isso não é democracia. Quero dizer que eu fiquei nove anos fora do Brasil porque chamava os outro de golpistas, se ficasse aqui teria sido preso. Agora convido eles para me chamar de golpista na frente da televisão inteira", disse o senador, sendo atendido pelos manifestantes, que tomaram a tribuna. "Tive a hombridade de sair do Brasil quando não conseguia conviver com golpistas, não me submeto a ser dirigido como golpista como vocês acham que sou. Por isso eu encerro a sessão”, declarou ainda Cristovam Buarque, enquanto era bastante vaiado.

O senador do PPS foi um dos 61 que votaram na última quarta-feira favorável ao impeachment da então presidente da república Dilma Rousseff. O partido de Cristovam Buarque faz parte da base aliada do governo de Michel Temer.

LeiaJá

Notícias relacionadas