menu

Brasil

31/10/2013


Começa o Panorama de Cinema

BAHIA

Três filmes marcam a abertura do IX Panorama Internacional Coisa de Cinema às 20h30 desta quinta-feira. A programação traz duas produções recentes do cinema europeu e um clássico brasileiro, todos com entrada franca, limitada apenas à lotação das salas. Umas das obras que será exibida é o francês “Um estranho no lago”, de Alain Guiraudie. A trama se desenvolve no verão, à beira de um lago isolado onde homens realizam encontros sexuais com desconhecidos. Franck conhece Michel e se apaixona. Ele sabe que Michel é mortalmente perigoso, mas decide viver essa paixão mesmo assim.

Com grande repercussão por onde passa, “Um estranho no lago” (L’Inconnu du Lac) foi premiado como melhor direção na mostra Un Certain Regard em Cannes e ocupou a capa da tradicional revista “Cahiers du Cinema”. “Foi o filme que mais me impressionou esse ano em Cannes. Um longa que redime o cinema francês, já tão maltratado com tantos clichês do que é ser francês. Desde lá, só pensávamos que queríamos exibi-lo em Salvador”, declara o idealizador e coordenador do festival, Cláudio Marques.

Hoje acontece também a estreia do Panorama Alemão no Brasil, a iniciativa traz a safra recente do cinema produzido no país para quatro capitais brasileira, começando por Salvador. A mostra é resultado de uma parceria do festival baiano com o Instituto Goethe e traz à cidade o cineasta Georg Mass, que apresentará seu filme “Duas Vidas” (Zwei Leben), produção escolhida para representar a Alemanha no Oscar. Com intermédio de um tradutor, o diretor conversará com o público após a sessão.

A programação se completa com a exibição de uma cópia restaurada de “Alma Corsária”, filme de Carlos Reichenbach, que é um dos principais representantes do “cinema de autor” brasileiro e será homenageado nesta edição do Panorama Coisa de Cinema. Vencedor de cinco prêmios no Festival de Brasília (filme, diretor, montagem, roteiro e crítica) e eleito o melhor filme pela Associação Paulista de Críticos de Arte em 1995, o longa traz dois poetas amigos de infância que realizam o lançamento de um livro com a presença de extensa fauna humana, como prostitutas, cafetões e um suicida em potencial. Após a sessão o público pode bater um papo com Bertrand Duarte, ator baiano que tem papel importante no filme, e a produtora Sara Silveira, que trabalhou por décadas com Reichenbach. A noite termina com uma festa ao som dos coletivos Nozmoskada e de Tambores, com preço simbólico de R$ 1,00.

Homenagem a Roberto Pires

A Grande Feira, filme do baiano Roberto Pires será relançado hoje em Cachoeira e amanhã em Salvador. O longa, rodado em 1961 na antiga Feira de Água de Meninos, teve imagem e áudio totalmente restaurados e a nova versão será exibida durante o Panorama Internacional Coisa de Cinema, que acontece nas duas cidades. Na semana seguinte, em 5 de novembro, o cineasta será agraciado com a Ordem do Mérito Cultural. Na cerimônia de entrega, em São Paulo, a esposa do artista, Laura Pires, deverá receber a medalha das mãos da presidente Dilma Roussef.

Na sessão de lançamento em Salvador, marcada para esta sexta-feira no Cine Itaú Glauber Rocha, haverá ainda um debate com Petrus Pires (filho do cineasta) e Walter Webb, assistente de direção e ator do filme. “Além dos filmes de meu pai que restam ser recuperados, vamos resgatar trabalhos de Alexandre Robatto, Leão Rosemberg, Agnaldo Siri, e todos os outros cineastas cujas obras não recebem o devido cuidado”, explica Petrus, acrescentando que,”restaurar películas com quarenta, cinquenta anos de idade não é um processo simples. Vamos aproveitar a experiência que ganhamos com os filmes de Roberto para ajudar a conservar a memória do cinema baiano para as próximas gerações”.

Mostra competitiva

Oito longas-metragens inéditos na Bahia estão na Competitiva Nacional do IX Panorama Internacional Coisa de Cinema. Obras de ficção e documentário concorrem lado a lado, reunindo filmes de diretores experientes e estreias no formato ou na direção. Os filmes serão exibidos no Espaço Itaú de Cinema – Glauber Rocha e na UFRB, juntamente com curtas em competição. Com data e horário ainda não definidos, todas as sessões serão seguidas de debates com diretores e/ou equipe das produções apresentadas. Os selecionados são Avanti Popolo, de Michel Wahrmann, Educação Sentimental, de Júlio Bressane, Exilados do Vulcão, de Paula Gaitán, Morro dos Prazeres, de Maria Augusta Ramos, O homem das multidões, de Marcelo Gomes e Cao Guimarães, O lobo atrás da porta, de Fernando Coimbra, Pinta, de Jorge Alencar e Tatuagem, de Hilton Lacerda.

O IX Panorama Internacional Coisa de Cinema acontece entre os dias 31 de outubro e 07 de novembro, em Salvador e Cachoeira, por meio de uma parceria com o Cineclube Mário Gusmão, projeto de pesquisa e extensão do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). O festival conta com o patrocínio da Petrobras e do Governo do Estado da Bahia, através do Fundo de Cultura. O acesso é gratuito em Cachoeira e em Salvador, os ingressos custam entre R$ 8 e R$ 4.
 

iG

Notícias relacionadas