menu

Internacional

06/04/2018


Defesa recorre à ONU para evitar prisão de Lula

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ingressou com uma medida cautelar junto à Organização das Nações Unidas (ONU) com o objetivo de que a entidade internacional faça um pronunciamento contra a prisão arbitrária do ex-presidente.

A ONU já possui um processo em tramitação referente aos abusos cometidos por Sérgio Moro na condução do processo e sobre a opressão da mídia na cobertura do caso.

Ainda nesta quinta-feira (5), a defesa de Lula ingressou com um pedido de habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ) tentando evitar a prisão do ex-presidente. Moro determinou que Lula se apresente em Curitiba até 17h desta sexta.

Leia a nota divulgada pelos advogados de Lula sobre o recurso:

Os advogados de defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva confirmam que protocolaram hoje, 06 de abril, junto ao Comitê de Direitos Humanos das Nações Unidas, em Genebra, uma medida cautelar com um pedido de liminar para que o governo brasileiro impeça a prisão de Lula até o exaurimento de todos os recursos jurídicos.

A decisão por uma estreita margem, tomada na quarta-feira, 04 de abril, pelo Supremo Tribunal Federal, demonstra a necessidade de um tribunal independente examinar se a presunção de inocência foi violada no caso de Lula, como também as alegações sobre as condutas tendenciosas do juiz Sérgio Moro e dos desembargadores contra o ex-presidente.

O pedido de Medida Cautelar foi apresentado pelos advogados do ex-presidente Lula, Cristiano Zanin Martins e Valeska Teixeira Zanin Martins, em conjunto com o advogado britânico Geoffrey Robertson QC, especialista em direitos humanos.

Brasil 247

Notícias relacionadas