menu

03/08/2019


Embaixador da China no Brasil rebate EUA na competição do mercado digital

247 – O embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, rebateu fala do secretário de comércio dos Estados Unidos, Wilbur Ross, que em entrevisa ao Valor disse que o governo chinês obriga empresas privadas a cooperar com os serviços militares e de inteligência, e que a tecnologia de 5G da China ameaça a segurança de outros países.

“Tais palavras são totalmente desfundamentadas e inventadas. Com intenções escondidas, esses comentários visam lançar calúnias sobre produtos chineses alegando riscos de segurança, e atrapalhar a cooperação econômica-comercial entre a China e demais países do mundo”, disse Wanming.

SUCESSIVAS MENTIRAS – O embaixador chinês também afirma que “autoridades norte-americanas recorrem frequentemente a meios políticos para interferir nas atividades econômicas, produzindo sucessivas mentiras, o que viola gravemente as normas econômicas internacionais, e prejudica a ordem justa e equitativa de cooperação econômica mundial”.

Wanming classifica os comentários do lado norte-americano como “absurdos”. “A China sempre incentiva e oreinta as suas empresas a respeitar rigorosamente as leis e regulamentações nos países onde operam. Nunca e jamais exige que empresas chinesas praticam atividades que violem as leis e regulamentações locais”.

HUAWEI – Sobre a Huawei, empresa chinesa que está no centro da guerra comercial entre Estados Unidos e China, o embaixador diz que a gigante do 5G opera em mais de 170 paises, “atende a mais de um terço da população do mundo e tem mantido um excelente histórico de segurança”.

“Huawei já está instalada no Brasil há mais de 20 anos, a segurança e confiabilidade dos seus equipamentos e serviços têm sido reconhecidos universalmente. Os fatos falam por si e serão as melhores ferramentas para desmentir os ataques mal-intencionados, e convencer a comunidade internacional a tirar a conclusão correta”, disse Wanming.

Notícias relacionadas