menu

Brasil

28/01/2015


Estado vai receber empréstimo retido no Banco do Brasil

Piauí

Governo do Piauí sai nesta quarta (28/01) do CAUC (Serviço Auxiliar de Informações para Transferências Voluntárias) e do Cadin (Cadastro de Inadimplentes do Setor Público) e se habilita a receber R$ 69 milhões de operação de crédito junto ao Banco do Brasil. A informação foi dada pelo controlador geral do Estado, Darcy Siqueira. O dinheiro estava retido desde o ano passado por conta da situação de inadimplência do Estado.

Segundo Darcy Siqueira, com o Piauí adimplente, imediatamente poderão ser liberados os R$ 69 milhões do empréstimo do Banco do Brasil, e depois a segunda etapa do financiamento de mais de R$ 330 milhões para obras estruturantes do estado. Na última terça (27/01) o governador Wellington Dias esteve reunido com o vice-presidente de Governo, Valmir Campelo, e o diretor de Governo, Janio Macedo, do BB, e agendaram um calendário de trabalho para retomar as operações de crédito. O controlador-geral informou que o governo pagou R$ 1,614 milhão referentes a pendências do Estado junto ao CAUC e ao Cadin, que impediam o repasse de valores de empréstimos e convênios com o Governo Federal que somam algo em torno de R$ 2 bilhões.

O restante das pendências foi resolvido administrativamente. Darcy Siqueira informou que as 14 pendências inscritas pela Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) contra o Estado na semana passada se deram por um convênio da Polícia Militar do Piauí com os Correios no valor de R$ 14.800.00, e que já foi resolvida. Outras nove pendências identificadas no início do governo, que somam cerca de R$ 1,6 milhão, diziam respeito a convênios entre órgãos federais com o Governo do Estado.

Entre esses órgãos estão a Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba) e Funasa (Fundação Nacional de Saúde). Os convênios, em torno de R$ 2,8 milhões, foram convalidados para aumentar o prazo de vigência, para que o Estado não tenha de devolver o dinheiro. "As nove inadimplências encontradas no início desta gestão foram resolvidas antes da meta estabelecida, que foi de 30 dias", disse ele. Segundo Darcy Siqueira, já neste governo entraram outras três inscrições no CAUC e no Cadin.

Darcy Siqueira informou que ficou faltando apenas uma pendência, referente a convênio do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), que está sendo retirada hoje. "As 14 restrições do Cadin estão todas solucionadas. Estamos aguardando retirar dos sistemas, o que ocorre nesta quarta-feira (hoje)", declarou.

 

(Do portal 180 graus)

Notícias relacionadas