menu

Brasil

11/10/2013


Fórum Nordeste 2030 traça estratégias de desenvolvimento da região

PARAIBA

O Nordeste tem que investir mais nas atividades mineradora, petrolífera, gás e na ampliação da atuação das pequenas e microempresas no cenário nacional e internacional. Essa visão é um dos eixos de debates durante o 2º Fórum Nordeste 2030: Visão Estratégica de Longo Prazo, que acontece nesta sexta-feira (11), no Hotel Cabo Branco Atlântico, em João Pessoa.

As estratégias nordestinas de longo prazo estão sendo discutidas por universidades, instituições de pesquisa, setor empresarial e governos estadual e municipal. 

“Precisamos ampliar a discussão e a possibilidade de crescimento da região, que ainda é vista de maneira preconceituosa por alguns círculos políticos, econômicos e intelectuais do país que querem cortar todas as conquistas sociais e econômicas conseguidas de maneira difícil. Querem reduzir o Nordeste a reserva de mercado dos grandes grupos econômicos sediados no centro-sul do país”, pontuou o superintendente da Sudene, Luiz Gonzaga Landim.

Ele destacou ainda que não basta trazer investimentos para o Nordeste, mas fazer com que haja mecanismos para segurar o dinheiro na região: “Em 2012 a produção industrial da Paraíba aumentou de 9 para mais de R$ 12 bilhões. Apesar de todo o esforço e avanços, precisamos crescer mais. O Nordeste tem o equivalente a metade da renda do Sul do Brasil e esta realidade, na zona rural, ainda é pior. Há 30 anos o Nordeste gritou e, agora se não fizermos nada seremos engolidos. A população não pode se contentar com bolsas, seguros e assistência previdenciária. Precisamos aumentar nosso parque produtivo, pois se a milenar Europa entrou em crise, temos que manter uma economia forte”, comentou.

Promovido pela Sudene em parceria com o Governo Paraíba e Instituto Nacional de Altos Estudos (Inae), o evento foi aberto pelo governador Ricardo Coutinho, e contou com José Maria Vilar da Silva, superintentende estadual do Banco do Nordeste (BNB), Luiz Paes Landim, superintendente da Sudene, do presidente do INTI, Renato da Silveira Martini, entre outras autoridades.

O termo de acordo de cooperação que seria assinado entre a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a Sudene para a implantação do Trem Costa do Sol, foi adiado devido a trâmites entre as procuradorias da ANTT e da Sudene. “O governador Ricardo Coutinho tem adotado uma visão estratégica para o desenvolvimento da Paraíba, investindo em capital fixo, sobretudo no que diz respeito às estradas que tornam a malha rodoviária capaz de escoar a produção, bem como tornam todas as cidades acessíveis por asfalto. Além disso, tem investido em infraestrutura hídrica, esgotamento sanitário, saneamento, barragens, adutoras, investimentos muitos fortes em pavimentação digital, educação e segurança”, disse o secretário de Planejamento e Gestão, Gustavo Nogueira. Ele acrescentou que é importante aumentar as discussões para descobrir os grandes vazios que o Nordeste ainda possui e, assim, ampliar os investimentos.

“Dentro da visão para 2030 pretendemos intensificar o que já estamos desenhando para o cenário econômico de 2017 que será elevar a competitividade dos pequenos negócios. Tornar a pequena empresa mais competitiva para atuar nos mercados nacional e internacional, buscando a sustentabilidade dos pequenos negócios. Até lá, uma boa parte dessas empresas estará em outro nível e a economia do Estado se fortalecerá”, esclareceu o superintendente do Sebrae-PB, Luiz Alberto Gonçalves.

Ele disse que a parceria entre Governo do Estado e Sebrae tem auxiliado no desenvolvimento da Paraíba na busca da meta até 2030. O representante do Sebrae lembra que recentemente o Governo ampliou o teto de enquadramento da micro e pequena empresa no Simples Nacional deixando-o equivalente ao teto nacional a partir de janeiro de 2014. “Estamos tratando também algumas políticas de desenvolvimento em relação ao artesanato, agropecuária, turismo, indústria, principalmente nos polos calçadistas de Campina Grande e Patos. Assim, em parceria com o Governo do Estado estamos participando de forma efetiva desse projeto, pois o foco de ambos é fortalecer a economia paraibana”, disse Luiz Alberto Gonçalves.

Redação

Notícias relacionadas