menu

Brasil

09/01/2015


Governo anuncia comandos e mantém alta cúpula da Segurança Pública

Ceará

O governador Camilo Santana (PT) divulgou ontem os nomes que vão compor a cúpula da segurança pública em sua gestão. O anúncio revelou a manutenção da maioria dos gestores que já integravam o governo Cid Gomes (Pros) na pasta. Entre as instituições, apenas na Polícia Militar (PM), estratégica na área, houve mudança de função.


O comando geral da PM agora está sob a responsabilidade do coronel Geovani Pinheiro, até então secretário-executivo da PM. O cargo era ocupado pelo coronel Lauro Prado, agora adjunto da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).


Na Superintendência da Polícia Civil, Andrade Júnior continua como delegado-geral. Foram mantidos também o diretor geral da Academia Estadual da Segurança Pública (Aesp), coronel José Herlínio Dutra; o comandante geral do Corpo de Bombeiros, coronel João Carlos Gurgel; e o perito geral da Perícia Forense, Maximiliano Chaves.


Repercussão

Liderança entre os policiais, o deputado estadual Capitão Wagner (PR) se reuniu ontem com Camilo durante quase uma hora e diz ter escutado do governador que a estratégia adotada foi manter os integrantes da cúpula para que o novo secretário, Delci Teixeira, possa se inteirar da pasta. “Em alguns casos me parece que é uma decisão definitiva, outros serão temporários. Mais importante é ver que há autonomia. Espero que isso continue”, diz.
 

Já na avaliação do presidente da Associação de Praças da Polícia Militar e Corpo de Bombeiro Militar do Ceará (Aspramece), Pedro Queiroz, os indicados na PM não são apropriados. “Não vejo hoje um nome expressivo que possa ser comandante, que tenha um comportamento de trânsito na categoria”, declara.


Para Ricardo Moura, pesquisador do Laboratório de Estudos da Violência (LEV/UFC) e colunista do O POVO, ainda não é possível definir qual será o perfil do titular da SSPDS. “Ele vai observar se as áreas estão respondendo ao que tem em mente”, projeta. “Ele tem que se fazer respeitar, obter confiança, ser visto como líder. Isso leva tempo”, lembra.


Na avaliação do coordenador do Laboratório de Estudos da Conflitualidade e da Violência (Covio) da Universidade Estadual do Ceará (Uece), Geovani Jacó, é importante ser repensada a formação dos agentes de segurança. “É uma das questões sintomáticas dos rumos que a área está assumindo”. Um desafio, reforça, é também resolver as resistências internas nas corporações. “Mesmo que os comandos mudem existem forças retrógradas e conservadoras”.


A professora Glaucíria Mota Brasil, coordenadora do Laboratório de Direitos Humanos, Cidadania e Ética da Uece, lembra ainda que está faltando uma peça entre os nomes: o controlador-geral. “Dependendo do indicado, isso pode fazer uma diferença significativa”, avalia. “Não podemos desprezar que a capacidade de gestão e liderança do novo secretário pode fazer a diferença – por se colocar como uma pessoa do diálogo – assim como a disposição do governador em conduzir o jogo político da segurança pública. Exige tempo e disposição para o diálogo”, frisa.

 

Saiba mais


Os nomes anunciados ontem serão publicados no Diário Oficial de hoje. Eles farão pronunciamento oficial na próxima terça-feira, 13, às 16 horas.


O coronel Ronaldo Mota Viana chegou a ser indicado como novo secretário-executivo da PM. Em seguida, a assessoria do Governo comunicou, em retificação, que o cargo ainda será definido.


Confira todos os nomes divulgados: http://bit.ly/1xWARtU

 

(O Povo)

Notícias relacionadas